Fazemos Realmente Sacrifícios?

Meditação Matinal de Ellen White – Nossa Alta Vocação, 1962.

14 de julho – Pág. 199 – Fazemos Realmente Sacrifícios?

Folguem e alegrem-se em Ti os que Te buscam; digam constantemente os que amam a Tua salvação: Engrandecido seja o Senhor. Salmos 40:16.

Muitos falam da vida do cristão como tirando de nós prazeres e alegrias mundanos. Digo que ela não tira coisa alguma digna de ser conservada. Sofrem os cristãos perplexidades, pobreza e aflições? Oh, sim, isto se espera nesta vida! Está, porém, o pecador, de quem falamos como fruindo os prazeres deste mundo, livre desses males? Não os vemos nós muitas vezes em profunda perplexidade e turbação? …

Os cristãos pensam por vezes que têm vida difícil e que é uma condescendência de sua parte apegar-se a uma verdade impopular e professarem ser seguidores de Cristo, que o caminho parece duro e têm muitos sacrifícios a fazer, quando em realidade não fazem sacrifício nenhum. Se na verdade são adotados na família de Deus, que sacrifício fizeram? Talvez o seguir a Cristo haja rompido alguma amizade com parentes amantes do mundo, mas considerai a troca – seus nomes escritos no livro da vida do Cordeiro, elevados, sim, grandemente exaltados, para serem participantes da salvação, herdeiros de Deus e co-herdeiros de Jesus Cristo numa herança incorruptível. … Chamaremos um sacrifício de nossa parte o ceder o erro pela verdade, as trevas pela luz, o pecado pela justiça, um nome e uma herança perecíveis na Terra por honras perduráveis e um tesouro incontaminado e incorruptível?

Mesmo nesta vida o cristão tem Alguém em quem se apoiar, o qual o ajudará a suportar todas as suas provações. Todavia o pecador tem de sofrer sozinho as suas. Desce à sepultura sofrendo remorsos em meio de trevas ligado por Satanás, pois é sua presa legal. …

Se há alguém que devia ser continuamente agradecido, é o seguidor de Cristo. Se há alguém que frua felicidade real, mesmo nesta vida, é o fiel cristão. … Se apreciamos ou temos qualquer senso de quão cara foi comprada nossa salvação, tudo quanto chamamos sacrifício perderá todo significado. Carta 18, 1859.

Anúncios

Sobre Ligado na Videira

Ligado na Videira
Esse post foi publicado em 1962 - Nossa Alta Vocação, Ellen White, Meditação Matinal e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Escreva um comentário. Compartilhe sua opinião.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s