Comentário da Lição da Escola Sabatina Ligado na Videira – Lição 6 – Sofrendo por Cristo – 29 de abril a 6 de maio de 2017

Comentário da Lição da Escola Sabatina Ligado na Videira – Lição 6 – Sofrendo por Cristo – 29 de abril a 6 de maio de 2017

No primeiro capítulo, na primeira Carta, falando [PRIMEIRO] da “viva esperança“, e nos fazendo [PRIMEIRO] olhar para a “herança incorruptível, incontaminável e que se não pode murchar“, e acrescentando a informação de que [PRIMEIRO] estamos “guardados na virtude de Deus, para a salvação já prestes a se revelar no último tempo” – motivos e mais motivos para a alegria do cristão – então, SOMENTE DEPOIS DISSO, como um segundo plano, Pedro apresentou o sofrimento que nos acompanha pelo simples fato de seguirmos a Cristo: “Embora, no presente [e no futuro], por breve tempo, se necessário, (sejamos) contristados por várias provações“.

Paulo preferiu dizer o mesmo, mas de outro jeito. Disse ele: “Todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições” (2Timóteo 3:12).

Irmãos, por ordem do Espírito Santo, o apóstolo Pedro foi bastante claro e incisivo a respeito das dificuldades que o mundo imprimiria à igreja – e a Lição se abre justamente para esse tema. Vamos fazer algumas considerações a respeito do “sofrimento por Cristo” – do sofrimento que o mundo nos impõe pelo simples fato de seguirmos nosso Senhor Jesus – Aquele que viveu entre nós como um Homem obediente ao “assim diz o Senhor”.

Bem, vou fazer a citação de mais um verso de Paulo, para com ele puxar o fio da meada. Em Filipenses 1:29, ele registrou: “Porque vos foi concedida a graça [foi dado o “dom”] de padecerdes por Cristo e não somente de crerdes nEle”. (Jesus diz que isso é uma bem-aventurança!).

Então, considerando o sofrimento por Cristo como um “dom”, como motivo de alegria por estar participando dos Seus sofrimentos, vamos iniciar os nossos comentários, e novamente indicamos que seja feita, de uma só vez, a leitura dos textos básicos – que estão em 1Pedro 3:13-22; e 4:12-19.

Mas, me permitam registrar aqui alguns outros sublimes versos:

Mateus 5:10-12 – “Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos Céus. Bem-aventurados sois quando, por Minha causa, vos injuriarem, e vos perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vós. Regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos Céus; pois assim perseguiram aos profetas que viveram antes de vós”.

1Pedro 5:8-11 – “Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar; resisti-lhe firmes na fé, certos de que sofrimentos iguais aos vossos estão-se cumprindo na vossa irmandade espalhada pelo mundo. Ora, o Deus de toda a graça, que em Cristo vos chamou à Sua eterna glória, depois de terdes sofrido por um pouco, Ele mesmo vos há de aperfeiçoar, firmar, fortificar e fundamentar. A Ele seja o domínio, pelos séculos dos séculos. Amém!

Romanos 8:18 – “Porque para mim tenho por certo que os sofrimentos do tempo presente não podem ser comparados com a glória a ser revelada em nós”.

“Quando os redimidos estiverem na presença de Deus, irão constatar quão distantes estavam de compreender o que o Céu considera como sucesso. Ao revisar seus esforços para alcançar êxito, verificarão quão simplórios foram nos seus planos, quão insignificantes seus supostos sofrimentos, quão irrazoáveis suas dúvidas” (Testemunhos Para a Igreja, vol. 7, pág. 28).

* Não posso ficar sem indicar a seguinte leitura adicional: “O campo de batalha” – em Maravilhosa Graça de Deus, pág. 34 – Meditação Matinal de 28/01/1974 – clique aqui.

(30/04) – Domingo – A perseguição aos cristãos primitivos. Do ano 14 até o 37, o imperador romano era Tibério César. Nesse período, a juventude, o ministério, a morte e a ressurreição de Jesus. E, também, o início da igreja cristã primitiva.

Tempos difíceis! Perseguições e mais perseguições! Mas, por incrível que pareça – sabendo que “todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus” – a fuga fazia prosperar a evangelização. Cada vez mais, novas cidades eram alcançadas. Os cristãos fugitivos eram como que “espetáculo ao mundo, aos anjos e aos homens”. E mais e mais pessoas eram acrescentadas ao povo de Deus.

Do ano 37 até 69, outros seis imperadores – sendo que, nos dias em que Pedro estava escrevendo as suas duas Epístolas, o imperador era o famoso Nero – em cujas mãos, tanto ele quanto Paulo, foram martirizados. (Tudo indica que tenha sido no ano 67).

Ainda em 69 (o conturbado ano de sucessivos quatro imperadores), tomou posse Tito Vespasiano, o imperador que, no ano 70, destruiu Jerusalém, não deixando pedra sobre pedra (se bem que nenhum cristão padeceu).

Bem, não estamos aqui para lecionar História Romana, mas dela falamos um pouco para então destacar o seguinte: a igreja cristã primitiva foi formada, e cresceu, mesmo diante de forte oposição. A perseguição era feroz! O inimigo de Deus e dos homens usou o “animal terrível e espantoso” para tentar eliminar a igreja de Cristo, para tirá-la do mapa a qualquer custo.

Os nossos irmãos pioneiros, portanto, tinham que ser (e foram) bem orientados em como prosseguir na caminhada cristã. E Pedro é bastante claro. Antes de falar em sofrimento e mais sofrimento, [PRIMEIRO] ele colocou o prêmio bem na frente deles: a “herança incorruptível” – a salvação providenciada pelo precioso sangue do Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Foi a respeito desta salvação que os profetas indagaram e inquiriram, os quais profetizaram acerca da graça a vós outros destinada, investigando, atentamente, qual a ocasião ou quais as circunstâncias oportunas, indicadas pelo Espírito de Cristo, que neles estava, ao dar de antemão testemunho sobre os sofrimentos referentes a Cristo e sobre as glórias que os seguiriam. A eles foi revelado que, não para si mesmos, mas para vós outros, ministravam as coisas que, agora, vos foram anunciadas por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do Céu, vos pregaram o evangelho, coisas essas que anjos anelam perscrutar” (1Pedro 1:10-12).

Sei, irmãos, dos sofrimentos pela causa de Cristo que nos aguardam, mas precisamos lembrar dos sofrimentos do próprio Cristo. Sei também, irmãos, dos sofrimentos de Cristo, mas, tal qual o apóstolo que havia sido discípulo do Mestre, temos que evidenciar, primeiro, a glória resultante do sofrimento de Cristo. Por sinal, quando no Getsêmani, ao suar gotas de sangue, Cristo recebeu a visita do anjo Gabriel, que veio Lhe trazer a seguinte mensagem: “O Pai disse que o resultado de Seu sacrifício será visto, e o Senhor ficará satisfeito!” – e então, Cristo, olhando para a futura multidão de remidos, foi para a cruz do Calvário.

Coloquemos a glória em primeiro plano, e veremos quão insignificantes os sofrimentos.

(01/05) – Segunda-feira – O sofrimento e o exemplo de Cristo.

Preste atenção nesse texto. Ele é profundo. Especial. Leia com bastante atenção: 1Pedro 3:13-18 – “Ora, quem é que vos há de maltratar, se fordes zelosos do que é bom?  Mas, ainda que venhais a sofrer por causa da justiça, bem-aventurados sois. Não vos amedronteis, portanto, com as suas ameaças, nem fiqueis alarmados; antes, santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração, estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós, fazendo-o, todavia, com mansidão e temor, com boa consciência, de modo que, naquilo em que falam contra vós outros, fiquem envergonhados os que difamam o vosso bom procedimento em Cristo, porque, se for da vontade de Deus, é melhor que sofrais por praticardes o que é bom do que praticando o mal. Pois também Cristo morreu, uma única vez, pelos pecados, o justo pelos injustos, para conduzir-vos a Deus”.

O Comentário Bíblico Adventista, vol. 7, pág. 627, diz: “Os destinatários desta epístola enfrentavam perseguição na época ou havia uma perspectiva iminente disso. Pedro os encorajou a não considerar esse ‘fogo ardente’ uma experiência estranha ou ‘extraordinária’, considerando que ‘também Cristo morreu’. Era privilégio deles ser ‘coparticipantes dos sofrimentos de Cristo’, isto é, encontrar no sofrimento companheirismo com o Senhor e Mestre. Ele deixara o exemplo de como suportar o sofrimento”.

O exemplo de Cristo está em 1Pedro 2:20-24 – “Pois que glória há, se, pecando e sendo esbofeteados por isso, o suportais com paciência? Se, entretanto, quando praticais o bem, sois igualmente afligidos e o suportais com paciência, isto é grato a Deus. Porquanto para isto mesmo fostes chamados, pois que também Cristo sofreu em vosso lugar, deixando-vos exemplo para seguirdes os Seus passos, o qual não cometeu pecado, nem dolo algum se achou em Sua boca; pois Ele, quando ultrajado, não revidava com ultraje; quando maltratado, não fazia ameaças, mas entregava-Se Àquele que julga retamente, carregando Ele mesmo em Seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados, para que nós, mortos para os pecados, vivamos para a justiça; por Suas chagas, fostes sarados”.

“A vida do Salvador na Terra, embora passada em meio de conflito, foi uma vida de paz. Conquanto irados inimigos O estivessem sempre perseguindo, Ele disse: ‘Aquele que Me enviou está comigo; o Pai não Me tem deixado só, porque Eu faço sempre o que Lhe agrada’. Nenhuma tempestade de ira humana ou diabólica poderia perturbar a calma daquela perfeita comunhão com Deus. E Ele nos diz: ‘Deixo-vos a paz, a Minha paz vos dou’” (Filhos e Filhas de Deus, pág. 104 – Meditação Matinal de 07/04/1956).

(02/05) – Terça – Prova de fogo. O texto para hoje está em 1Pedro 4:12 a 14 – “Amados, não estranheis o fogo ardente que surge no meio de vós, destinado a provar-vos, como se alguma coisa extraordinária vos estivesse acontecendo; pelo contrário, alegrai-vos na medida em que sois coparticipantes dos sofrimentos de Cristo, para que também, na revelação de Sua glória, vos alegreis exultando. Se pelo nome de Cristo sois injuriados, bem-aventurados sois, porque sobre vós repousa o Espírito da glória e de Deus”.

Irmãos, é verdade o que acabamos de ler, e que foi escrito por Pedro. Assim como é verdade o que Jesus disse em Mateus 24:9 e 10 – “Sereis atribulados, e vos matarão. Sereis odiados de todas as nações, por causa do Meu nome. Nesse tempo, muitos hão de se escandalizar, trair e odiar uns aos outros”.

De igual forma, é verdade que, em 2Timóteo 3:12, Paulo escreveu: “Todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições”.

Mas, também é verdade que, antes de escrever: “Ai da terra e do mar, pois o diabo desceu até vós, cheio de grande cólera, sabendo que pouco tempo lhe resta” – e –“Irou-se o dragão contra a mulher e foi pelejar com os restantes da sua descendência, os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus” (Apocalipse 12:12 e 17), primeiro João escreveu: “Ouvi grande voz do Céu, proclamando: ‘Agora, veio a salvação, o poder, o Reino do nosso Deus e a autoridade do Seu Cristo, pois foi expulso o acusador de nossos irmãos, o mesmo que os acusa de dia e de noite, diante do nosso Deus. Eles, pois, o venceram por causa do sangue do Cordeiro e por causa da palavra do testemunho que deram e, mesmo em face da morte, não amaram a própria vida. Por isso, festejai, ó Céus, e vós, os que neles habitais” (Apocalipse 12:10 a 12).

Sei que muito se fala dos três hebreus fiéis que saíram ilesos da fornalha ardente. Sei que pouco se fala do fiel João Batista, cuja cabeça foi cortada. Mas, sei também que, para todos os fiéis de todos os tempos, nosso Senhor Jesus Cristo deixou uma palavra confortadora: “Sê fiel até a morte, e dar-te-ei a coroa da vida” (Apocalipse 2:10).

Depois da “galeria dos heróis da fé”, a Palavra nos diz: “Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta, olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que Lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus. Considerai, pois, atentamente, Aquele que suportou tamanha oposição dos pecadores contra Si mesmo, para que não vos fatigueis, desmaiando em vossa alma” (Hebreus 12:1 a 3).

(03/05) – Quarta – O juízo e o povo de Deus. Por consequência da desobediência de Adão, o pecado e seus resultados entraram no mundo. Disso vem a dificuldade, o sofrimento, a perseguição. Não há nenhum ser humano poupado por completo. Aparentemente, alguns sofrem mais, outros, menos. Alguns por mais tempo, outros, por pouco. Mas, todos sofrem. E o cristão passa por algumas dessas agruras também. Não é necessariamente poupado de tudo.

No entanto, há uma maneira de ver a questão. O ímpio vê de um jeito. O cristão, de outro jeito. E é justamente sobre a visão do cristão enxergar as dificuldades que a Lição de hoje quer falar. A Bíblia ensina o cristão a olhar de um modo totalmente especial os sofrimentos pelos quais passa, e é sobre isso as nossas considerações.

Irmãos, com a entrada do pecado, o mundo entrou em juízo. O ponto culminante será o juízo final – a morte eterna, mas o juízo começou no exato momento da primeira desobediência. Dor, suor, espinhos e cardos, assassinatos, dilúvio, etc., etc., e a primeira morte (também chamada de “sono”). Porém, o cristão é convidado a se apegar ao Senhor. Ficar próximo dEle. Manter comunhão com Ele. Gostar do contato com Ele. Exercer confiança nEle. Entender que Ele cuida. O cristão é convidado a deixar que o Senhor cuide dele.

Em meio ao que tem que passar, o cristão deve entender que esses “pequenos” juízos, então, servem para depurá-lo, purificá-lo. Fazer com que deixe o pecado. Que desenvolva fé no Senhor. Que permita Deus dirigir a sua vida. Além disso, o cristão tem que lembrar que outras pessoas estão passando por provas também. Então, que levante os olhos, e peça que Deus o conduza em socorro aos seus semelhantes.

Irmãos, somos cuidados por Deus como quem cuida da menina dos olhos. Ele não vai deixar acontecer nada que não seja para o nosso crescimento espiritual e para a honra e a glória de Seu nome. E a Sua glória é a nossa salvação, e a daqueles que estendemos a mão.

(04/05) – Quinta – conclusão – Fé em meio às provas.

“Seguir a Cristo não é isenção de conflito. Não é brincadeira de criança. Não é ociosidade espiritual. Toda a satisfação no serviço de Cristo implica em sagradas obrigações de resistir a lutas severas. Seguir a Cristo significa batalhas ensanguentadas, ativo trabalho, guerra contra o mundo, a carne e o diabo. Nossa alegria está nas vitórias alcançadas para Cristo, em fervoroso e rígido batalhar. … Somos alistados para o trabalho, ‘não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna’. Devemos cooperar com nossa salvação com temor e tremor. […]

Toda pessoa deve calcular os sacrifícios. Ninguém alcançará êxito senão pelo diligente esforço. Devemos usar espiritualmente todas as nossas faculdades, e crucificar a carne com suas afeições e concupiscências. A crucifixão significa muito mais do que muitos supõem. […]

Requer constante vigilância o ser fiel até à morte, combater o bom combate da fé até que a carreira esteja terminada e, como vencedores, recebamos a coroa da vida.

Posso ver meu Redentor, e recebo nova animação para nEle crer, como perene Fonte de força”  (Nos Lugares Celestiais, pág. 117 – Meditação Matinal de 20/04/1968).

Fico por aqui. Desejo um ótimo estudo. Uma boa semana.

Deus nos abençoe.

Lembrem-se de ler a Meditação Matinal de hoje – basta clicar aqui.

Lição da Escola Sabatina 2017 – Comentário feito por Carlos Bitencourt

Anúncios

Sobre Ligado na Videira

Ligado na Videira
Esse post foi publicado em a lição da semana, Comentário da Lição da Escola Sabatina, Ligado na Videira e marcado , , , . Guardar link permanente.

5 respostas para Comentário da Lição da Escola Sabatina Ligado na Videira – Lição 6 – Sofrendo por Cristo – 29 de abril a 6 de maio de 2017

  1. vera iucia santana andrade disse:

    obrigado por enviar o alimento que preciso a cada manhã pra começar o dia com a certeza que o de mais Deus proverá o senhor continue os abençoando juntos com suas familia

  2. jairo tavares disse:

    muito bom poder acompanhar seu trabalho,com certeza é divino medito toda semana em seus comentários e levo pra minha classe conhecimentos deixados por vc que sem duvida é espirado por Deus.Que Deus continue abençoando ricamente sua vida. Amem

    • Jairo,
      Somos agradecidos a Deus por nos tornar úteis em Sua obra. E agradecemos a você por nos acompanhar e multiplicar o que aqui postamos.
      Deus o recompense através da leitura de assuntos relacionados coma Sua Palavra, bem como através de seu envolvimento com a Sua igreja.
      Deus abençoe você, sua família e sua igreja local.
      Boa semana.

      Carlos Bitencourt
      Cascavel-Paraná

  3. Carlos Augusto disse:

    Que Deus seja louvado em todos os momentos da nossa vida , cada dia que vivemos deve ser uma vitória para Cristo, assim como o oro é provado no fogo , será assim com os fiéis nos últimos dias da história deste mundo, a nossa fé deve crescer cada vez mais, disse o mestres no mundo tereis aflições, mais tendes bom ânimo porque eu venci o mundo, portanto não temos que temer porque o nosso advogado estará a nossa defesa diante do tribunal, por isso temos que firmar a nossa fé em Cristo.

Escreva um comentário. Compartilhe sua opinião.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s