Comentário da Lição da Escola Sabatina Ligado na Videira – Lição 4 – Relações sociais – 15 a 22 de abril de 2017

Comentário da Lição da Escola Sabatina Ligado na Videira – Lição 4 – Relações sociais – 15 a 22 de abril de 2017

Estamos diante de um estudo extraordinário. Oportuno! Pedro, falando para os cristãos de todas as épocas, orienta como deve ser o nosso comportamento durante toda a nossa vida.

Não vivemos isolados. Vivemos com outras pessoas. Há uma infinita variedade de relações com elas. Dependem de nós e nós dependemos delas. Nós as influenciamos e por elas somos influenciados.

Porém, acima de tudo isso, o Espírito Santo faz a Sua obra – e, por Sua Palavra, Ele orienta a Sua igreja a como se portar diante do mundo – e é justamente sobre a orientação divina que vamos fazer algumas considerações nesta nova semana. Veremos o interesse de Deus em que tenhamos ótimas relações sociais. A maneira como nos “posicionamos” mostrará que o Reino que aguardamos é aquele em que Deus é o Senhor.

Bom será a leitura de uma vez só de 1Pedro 2:11 até 3:7 – esses são os versos que fundamentam o estudo sobre as nossas “relações sociais”.

Domingo – Igreja e Estado (1Pedro 2:13-17). Aqui, o contexto é maior do que a relação “Igreja” e “Estado”. Trata-se, também, de (1) minha relação com a Igreja, e (2) a minha relação com o Estado.

(1) Embora a salvação seja individual, não é bom que eu viva isolado dos outros salvos. Não há razão em levar o evangelho para outra pessoa e orientá-la a não me procurar nunca mais. O convívio nos fará bem, nos fortalecerá. Haverá troca de experiências, e nos fará bem falar e ouvir palavras encorajadoras. Mas também é inconcebível que eu cuide sozinho de todos os que evangelizei. E disso o motivo de nos organizamos como grupos, como povo, como Igreja. Um ajudando o outro. Um assumindo a responsabilidade em favor do outro, em conformidade com o talento que Deus concedeu. Devo orar e trabalhar em favor dessa união entre irmãos. O amor deve permear essa relação.

No entanto, o Espírito Santo sobe o tom da conversa, dizendo que “um ‘assim diz o Senhor’ não deve ser posto à margem por um ‘assim diz a Igreja’” (Atos dos Apóstolos, pág. 69). Individualmente e como Igreja organizada, a Palavra de Deus é a orientação para nossas relações. A base da minha relação individual com a igreja organizada tem que ser a Bíblia.

(2) Quanto ao Estado, é verdade que passamos por sérias dificuldades. Terríveis! Mas também é verdade que os meios de comunicação fazem “algo mais” do que repassar notícias. Eles estão nos “doutrinando” – somos doutrinados a reclamar, a manifestar indignação, a exigir. Estamos ficando peritos nisso! E, assim, os nossos olhares estão se fixando demais nas coisas desse mundo e o nosso comportamento está sendo moldado a ser questionador de tudo e de todos.

O Espírito de Profecia nos esclarece:

“Alguns de nossos irmãos têm escrito e dito muitas coisas que são interpretadas como contrárias ao Governo e à lei. Erro é expor-nos dessa maneira a um mal-entendido geral. Não é procedimento sábio o criticar continuamente os atos dos governantes. A nós não nos compete atacar indivíduos nem instituições. Devemos exercer grande cuidado para não sermos tomados por oponentes das autoridades civis. Certo é que a nossa luta é intensiva, mas as nossas armas devem ser as contidas num simples ‘assim diz o Senhor’. Nossa ocupação consiste em preparar um povo para estar de pé no grande dia de Deus. Não devemos desviar-nos para procedimentos que provoquem polêmica, ou suscitem oposição nos que não são da nossa fé” (Testemunhos Para a Igreja, vol. 6, pág. 394).

“Não se nos exige que desafiemos as autoridades. Nossas palavras, quer faladas quer escritas, devem ser cuidadosamente consideradas, para que não sejamos tidos na conta de proferir coisas que nos façam parecer contrários à lei e à ordem. Não devemos dizer nem fazer coisa alguma que nos venha desnecessariamente impedir o caminho” (Atos dos Apóstolos, pág. 69).

“Cumpre-nos reconhecer o governo humano como uma instituição designada por Deus, e ensinar obediência ao mesmo como um dever sagrado, dentro de sua legítima esfera” (A Fé Pela Qual Eu Vivo, pág. 240 – Meditação Matinal de 22/08/1959).

“A história das nações que, uma após outra, têm ocupado seus destinados tempos e lugares, testemunhando inconscientemente da verdade da qual elas próprias desconheciam o sentido, fala a nós. A cada nação, a cada indivíduo de hoje, tem Deus designado um lugar no Seu grande plano. Homens e nações estão sendo hoje medidos pelo prumo que se acha na mão dAquele que não comete erro. Todos estão pela sua própria escolha decidindo o seu destino, e Deus está governando acima de tudo para o cumprimento de Seu propósito” (Maravilhosa Graça de Deus, pág. 48 – Meditação Matinal de 11/02/1974).

Segunda – Senhores e escravos (1Pedro 2:18-23). A escravidão humana existia naquela época apostólica, e a Palavra de Deus não se calou diante disso – Pedro foi inspirado a orientar a igreja a respeito desse problema. Quanto a nós, hoje, devemos extrair o “princípio” implícito no ensinamento.

No perfeito governo de Deus, todos somos agentes morais livres. E mesmo diante de nossas imperfeições, Ele estabeleceu uma nação que não deveria adotar o regime de escravidão. Providências foram tomadas para que houvesse assistência aos mais necessitados – viúvas, órfãos e pobres – e até estrangeiros. Que menos distorções houvesse.

Quanto as nações vizinhas, lamentavelmente a opressão foi tomando conta. Governos arbitrários foram tomando posse de terras e de seus habitantes através do uso da força. E o que era feito entre as pessoas era reflexo desses mandos e desmandos.

“Se tivessem [os judeus] cumprido fielmente suas obrigações para com Deus, não teriam chegado a ser uma nação falida, dominada por uma potência estrangeira. Nenhuma bandeira romana haveria tremulado sobre Jerusalém, nenhuma sentinela romana estaria às suas portas, governo romano algum teria reinado dentro de seus muros. A nação judaica estava sofrendo os resultados de ter se afastado de Deus” (O Desejado de Todas as Nações, capítulo 66 – “Conflito”).

Bem, na época de Pedro, alguns senhores de escravos estavam sendo evangelizados – e eram orientados em como proceder com esses escravos. Da mesma forma, escravos evangelizados eram orientados em como proceder com os seus senhores. (Escravo evangelizado?!!! Como assim? Bem, aqui está a prova de que o poder de Deus estava agindo). Então, para ambos, que prevalecesse o bom senso, o respeito com a ordem social e com o semelhante. Que o relacionamento entre eles facilitasse a compreensão sobre o estilo cristão de viver. Que os demais membros da sociedade vissem, neles, o valor que Deus dá aos Seus filhos – filhos que se tratam como irmãos.

Hoje, não mais senhores e escravos, mas patrões e empregados – e deve prevalecer o princípio implícito naquela recomendação – (Reforçando): que haja bom senso e respeito com a ordem social e com os semelhantes; que o nosso relacionamento facilite a compreensão sobre o estilo cristão de viver; que as demais pessoas vejam, em nós, o valor que Deus nos confere.

Terça – Esposas e maridos (1Pedro 3:1-7). Aqui, o princípio bíblico permanece o mesmo. Que a esposa convertida ao cristianismo continuasse a respeitar e amar o marido, como ao Senhor. Que cada uma de suas ações no lar fosse calculada de forma a causar nele a vontade de conhecer o Salvador, e a Ele se entregar. Por sua vez, que o marido cristão amasse, cuidasse e respeitasse a sua esposa.

Irmãos, creio que neste ponto, todos devemos aproveitar a oportunidade para reconsagrar nossos lares ao Senhor. Nossas famílias são preciosas de mais! Então, vale à pena renovar os votos de amor que Deus colocou em nossos corações. E que em nossas orações secretas, bem como aos nos expressarmos diante de outras pessoas, que sejam pronunciadas palavras de louvor e gratidão a Deus por nossas preciosas famílias – a base da sociedade.

Quarta – Relações sociais. O mesmo título para a semana. Um resumão. E, aqui, outros versos bíblicos são usados. Mas como a Palavra é uma só, uma instrução dá mais brilho à outra. (Releia 1Pedro 2:11 até 3:7).

Romanos 13:1-7 (aqui somente o verso 1) – “Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por Ele instituídas”.

Efésios 6:5-9 (aqui, os versos 5 e 9) – “Quanto a vós outros, servos, obedecei a vosso senhor segundo a carne com temor e tremor, na sinceridade do vosso coração, como a Cristo” – “E vós, senhores, de igual modo procedei para com eles, deixando as ameaças, sabendo que o Senhor, tanto deles como vosso, está nos Céus e que para com Ele não há acepção de pessoas”.

Efésios 5:22-33 (aqui, os versos 22 e 25) – “As mulheres sejam submissas ao seu próprio marido, como ao Senhor” – “Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a Si mesmo Se entregou por ela”.

1Coríntios 7:12-16 (aqui, verso 16) – “Como sabes, ó mulher, se salvarás teu marido? Ou, como sabes, ó marido, se salvarás tua mulher?

Gálatas 3:28 e 29 – “Não pode haver judeu nem grego; nem escravo nem liberto; nem homem nem mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus. E, se sois de Cristo, também sois descendentes de Abraão e herdeiros segundo a promessa”.

Resumindo, Paulo e Pedro viviam na mesma época. As igrejas eram as mesmas, assim como a cultura prevalecente. As barreiras eram as mesmas. No início da Lição da semana passada, através de uma passagem do livro Profetas e Reis, fomos ensinados que não era por rebelião ou guerra que as nações vizinhas seriam eliminadas. Longe disso! Deus queria era ganhá-los para Si! Então, que Israel “israelizasse” os povos.

Da mesma forma, não somos chamados a derrubar governos ou a nos rebelar contra sistemas, mas a “cristianizar” as pessoas com quem mantemos relações sociais. E, usando como exemplos a nossa vida civil e religiosa, e a nossa relação trabalhista e conjugal, Pedro reforçou os ensinos do Senhor. Ele deixou bem claro como devemos seguir enquanto caminhamos a senda cristã.

QuintaconclusãoO cristianismo e a ordem social.

O “assim diz o Senhor”, como os irmãos bem sabem, está acima de tudo. Em havendo concordância do Estado, da Igreja, do patrão, e do cônjuge, ou de outra qualquer relação social com a Palavra de Deus, tudo fica mais fácil.

Porém, se chamados a transgredir os reclamos da Lei de Deus, então, deve prevalecer o que Pedro disse em Atos 5:29 – “Antes, importa obedecer a Deus do que aos homens”.

Não sei explicar o motivo, mas o artigo mais lido em nosso blog é “A Bíblia manda odiar o pai e a mãe em nome de Jesus?” Se é de seu interesse, clique aqui. 

Encerro minhas considerações citando um trecho a mais do Espírito de Profecia:

“Nos anais da história humana, o desenvolvimento das nações, o nascimento e queda dos impérios, aparecem como que dependendo da vontade e proeza do homem; a configuração dos acontecimentos parece determinada em grande medida pelo seu poder, ambição ou capricho. Mas na Palavra de Deus a cortina é afastada, e podemos ver acima, para trás e pelos lados as partidas e contrapartidas do interesse, poder e paixões humanos – os agentes do Todo-misericordioso – executando paciente e silenciosamente os conselhos de Sua própria vontade” (Vidas Que Falam, pág. 250 – Meditação Matinal de 01/09/1971).

Fico por aqui. Desejo um ótimo estudo. Uma boa semana.

Deus nos abençoe.

Lembrem-se de ler a Meditação Matinal de hoje – basta clicar aqui.

Lição da Escola Sabatina 2017 – Comentário feito por Carlos Bitencourt

 

Anúncios

Sobre Ligado na Videira

Ligado na Videira
Esse post foi publicado em a lição da semana, Comentário da Lição da Escola Sabatina, Ligado na Videira e marcado , , , . Guardar link permanente.

14 respostas para Comentário da Lição da Escola Sabatina Ligado na Videira – Lição 4 – Relações sociais – 15 a 22 de abril de 2017

  1. Jair Souza disse:

    Parabéns, tenho acompanhado seus comentários e usado os textos do Espírito de profecia, para ajudar em nossa classe da escola Sabatina, muito obrigado !

    • Jair,
      Agradecemos ao amigo as incentivadoras palavras, e a Deus por nos permitir ser útil aos irmãos.
      Envie um abraço aos membros de sua classe. Somos da mesma fé!
      Boas leituras.

      Carlos Bitencourt
      Cascavel-Paraná

  2. sandoval Rodrigues dos Santos disse:

    Bom dia Carlos! Tenho lido regularmente seus comentários da lição da Escola Sabatina, uma ferramenta muito últi para o conhecimento e vida prática. muito obrigado Deus continue usando cada um de nós para o avanço do Reino de Deus bem como a salvação das almas! Forte abraço!!

    • Sandoval,
      Agradecemos de coração o fato de você estar aqui conosco, e também por expressar palavras de apreço. Deus o recompense por isso.
      Desejo que Cristo retorne logo, e que, naquele grande Dia, sejamos contados entre a multidão de remidos.
      Tenha um ótimo dia, irmão.

      Carlos Bitencourt
      Cascavel-Paraná

  3. suely azevedo disse:

    Maravilhoso, como sempre, seus comentários meu irmão. Deus continue o usando, para que através de sua ajuda,possamos inrcrementar e ajudar nossos irmãos a ter uma visão mais ampla da lição. Deus o abençoe e lhe encha de sabedoria vinda dos altos céus.

    • Amém, Suely, amém!
      Oremos uns pelos outros, combinado?!!!
      Irmã, em breve nosso Senhor voltará. Conheceremos e seremos conhecidos por todos os queridos leitores do Ligado na Videira. Grandes encontros!
      Bom feriado.

      Carlos Bitencourt
      Cascavel-Paraná

      • suely azevedo disse:

        Anseio ardentemente, por esse dia. Combinado. Oremos para que todos estejamos lá, reunidos. Será uma grande confraternização.

  4. vera iucia santana andrade disse:

    confesso que as lição que temos recebido nos últimos tempos tem sido muito especial pra cada um de nós o conteúdo de cada lição tem falado grandemente ao nosso coração tem nos alertado aberto nossos olhos para volta de jesus a todos que tem sido iluminado para escrever essas lições meu muito obrigado e que Deus continue os abençoando

    • Vera,
      É relevante o que você disse. E bem por isso, sou agradecido a Deus por nos conceder o método de estudo proposto pela Lição, que é o de estudar a Bíblia através de “temas”. Além disso, com o passar do tempo, os temas criam um sentido lógico na nossa mente. As declarações bíblicas se combinam!
      Irmã, mais uma vez, nossos agradecimentos por você navegar e comentar em nosso blog.
      O sábado se aproxima. Deus a abençoe, bem como a sua família e sua igreja local.
      Boas leituras!

      Carlos Bitencourt
      Cascavel-Paraná

  5. estou muito feliz e agradecida a deus por usar pessas como voce para compartilhar e explicar a palavra de deus que deus continue te usando s te abeçoando .feliz sabado a voce e a sua congregaçao

  6. Clovis disse:

    Muito obrigado Irmão Carlos e a equipe pelo seus comentários, pois ajuda muito a entender a lição facilmente. Que a equipe continua. Que Deus vos abençoe.
    Comprimentos daqui de Boston, Massachusetts.

    • Olá, Clóvis!
      Também receba os nossos cumprimentos. Que você, sua família e a igreja local tenham a doce companhia de nosso Senhor Jesus Cristo.
      Oremos uns pelos outros, combinado?

      Tenho muita vontade de conhecer os locais das histórias de William Miller.

      (Envie algum link sobre a igreja que você frequenta).

      Carlos Bitencourt
      Cascavel-Paraná

Escreva um comentário. Compartilhe sua opinião.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s