Comentário da Lição da Escola Sabatina Ligado na Videira – Lição 1 – Conhecendo Pedro – Apascenta as Minhas Ovelhas – 1 e 2Pedro

Comentário da Lição da Escola Sabatina Ligado na Videira – Lição 1 – Conhecendo Pedro – 25 de março a 1° de abril – Apascenta as Minhas Ovelhas – 1 e 2Pedro

Imagine uma sala, com duas cadeiras, e uma mesa entre elas. Imagine que você esteja sentado numa das cadeiras e que, na outra, bem na sua frente, esteja sentado um senhor idoso, de cabelos brancos, de semblante sereno, conhecedor de que o seu fim se aproxima, e que, mantendo um olhar que transmite calma, pega uma caneta e começa a escrever uma carta.

Imagine, também, que você consegue enxergar a primeira linha do que ele está escrevendo – e você lê a seguinte introdução: “Pedro, apóstolo de Jesus Cristo, aos eleitos…

Irmãos, esta cena passou por minha mente. Eu me imaginei na frente de Pedro – o famoso discípulo de Jesus – o grande apóstolo do Senhor – um dos que estiveram pessoalmente, em carne e osso, lado a lado com Jesus Cristo.

Particularmente, imaginei esta cena porque entendo que Pedro tenha sido um dos homens mais interessantes de toda a trajetória humana. Ele me chama a atenção, e muito! Sua experiência é extraordinária. Suas histórias são “as histórias”!

Pedro é o discípulo mais citado nas Escrituras. Em quase todas as histórias de Jesus, ali estava Pedro. Em todas as histórias de Pedro, ali estava Jesus. E é bem por isso – Jesus estar em suas histórias – que vejo nas histórias de Pedro as melhores histórias do mundo. Se as histórias de Pedro estão entrelaçadas com a presença de Jesus, então as suas histórias são bem mais interessantes do que eu imaginava. Realmente são “as histórias”!

E, quem sabe, por isso a Lição deu a preferência em nos contar, já de início, como abertura do trimestre, algumas de suas histórias. Apenas algumas, é verdade, mas, em cada uma delas, uma maneira de conhecermos Pedro, o discípulo do Salvador – o homem que ouviu o Pastor Celestial dizer: “Pedro, apascenta as Minhas ovelhas”.

Então, antes de contar a sequência da Carta escrita por Pedro, vejamos algumas de suas histórias – as histórias de Pedro com Jesus:

[26/03] DomingoJoão 1:35-42 – “No dia seguinte [ao batismo de Jesus], estava João [Batista] outra vez na companhia de dois dos seus discípulos [André e João, o discípulo amado] e, vendo Jesus passar, disse: ‘Eis o Cordeiro de Deus!’ Os dois discípulos, ouvindo-o dizer isto, seguiram Jesus. E Jesus, voltando-Se e vendo que O seguiam, disse-lhes: ‘Que buscais?’ Disseram-lhe: ‘Rabi (que quer dizer Mestre), onde assistes?’ Respondeu-lhes: ‘Vinde e vede’. Foram, pois, e viram onde Jesus estava morando; e ficaram com Ele aquele dia, sendo mais ou menos a hora décima. Era André, o irmão de Simão Pedro, um dos dois que tinham ouvido o testemunho de João [Batista] e seguido Jesus. Ele achou primeiro o seu próprio irmão, Simão, a quem disse: ‘Achamos o Messias’ (que quer dizer Cristo), e o levou a Jesus. Olhando Jesus para ele, disse: ‘Tu és Simão, o filho de João [também chamado de Jonas]; tu serás chamado Cefas’ (que quer dizer Pedro)”.

Este foi o primeiro contato entre Jesus e alguns de Seus discípulos. Porém, ainda não para um discipulado fixo, permanente. Somente depois de um ano, após um ministério “solo”, é que veio a ocorrer o verdadeiro “chamado”, o “segue-Me” propriamente dito.

E isso veio a acontecer assim – Lucas 5:1-11 – “Aconteceu que, ao apertá-Lo a multidão para ouvir a Palavra de Deus [a Sua fama estava por completar um ano], estava Ele junto ao lago de Genesaré [o Mar da Galileia]; e viu dois barcos junto à praia do lago; mas os pescadores, havendo desembarcado, lavavam as redes [depois de uma noite frustrante de serviço]. Entrando em um dos barcos, que era o de Simão [Pedro], pediu-lhe que o afastasse um pouco da praia; e, assentando-Se, ensinava do barco as multidões [como se fosse um púlpito]. Quando acabou de falar, disse a Simão: ‘Faze-te ao largo, e lançai as vossas redes para pescar’. Respondeu-Lhe Simão: ‘Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos, mas sob a Tua palavra lançarei as redes’. Isto fazendo, apanharam grande quantidade de peixes; e rompiam-se-lhes as redes. Então, fizeram sinais aos companheiros do outro barco, para que fossem ajudá-los. E foram e encheram ambos os barcos, a ponto de quase irem a pique. Vendo isto, Simão Pedro prostrou-se aos pés de Jesus, dizendo: ‘Senhor, retira-Te de mim, porque sou pecador’. Pois, à vista da pesca que fizeram, a admiração se apoderou dele e de todos os seus companheiros, bem como de Tiago e João, filhos de Zebedeu, que eram seus sócios. Disse Jesus a Simão: ‘Não temas; doravante serás pescador de homens’. E, arrastando eles os barcos sobre a praia, deixando tudo, O seguiram”.

Pontos relevantes para o contexto da Lição: Pedro era um pescador experiente. Conhecia aquelas águas. E realmente estava frustrado diante do fracasso daquela noite. Qual chefe de família não estaria? No entanto, ao receber a visita e a ordem de Jesus, obedeceu ao Seu comando, e foi surpreendido com a maior pescaria de todos os tempos.

Porém, e essa é a parte especial, ao concluir que aquilo era um milagre, não permitiu que a questão se tornasse apenas algo material, palpável, físico. Não! Viu o invisível, e enquanto Jesus permanecia no barco, lançou-se aos Seus pés. E ali, prostrado, sendo levado a reconhecer sua indignidade, exclamou do fundo de seu coração: “Senhor, retira-Te de mim, porque sou pecador”.

Irmãos, este “retira-Te” não indica o desejo de que Cristo Se retirasse, que fosse embora. Não! Apenas foi o modo de expressar que sentia a sua própria indignidade. É como se dissesse: “Não sou digno de Sua presença” – “Eu sou pecador!”

Pedro estava reconhecendo a sua necessidade espiritual, e deixou isso falar mais alto. Reconheceu que estava diante do Salvador perfeito. O Espírito Santo bateu na porta de seu coração, e ele O deixou entrar.

E já que os peixes obedeceram ao chamado de Jesus, Pedro assim também fez. “Deixando tudo, O seguiu” – e O seguiu para todo o sempre – para ser um pescador de pessoas para Cristo.

Temos um pouco desse Pedro em nós? Lançaríamos a rede no “improvável”? Reconheceríamos o poder de Jesus? Aceitaríamos acompanhar o Mestre na obra de evangelizar o mundo?

Irmãos, temos um pouco desse Pedro em nós?

[27/03] Segunda-feiraMateus 16:13-23. Nesta passagem, Jesus fez duas perguntas: “Quem diz o povo ser o Filho do Homem?” – “E vós, quem dizeis que Eu sou?”

É a partir desse ponto que Jesus começa a falar do verdadeiro significado de ser o “Messias” e das correspondentes “consequências” para Si. É daqui em diante que Ele passa a falar do sofrimento e da morte que O aguardava. Passou a frisar que tinha que passar por isso. Foi para isso que veio. Nisso está a nossa salvação!

Então, vemos dois momentos para Pedro:

Primeiro – Ele disse que o Mestre era “Cristo, o Filho do Deus vivo” – e Cristo revela que isso ele respondeu porque estava sendo usado por Deus. Nesse momento, Pedro foi um instrumento divino. Parabéns, Pedro!

Segundo – Tendo ouvido que Jesus iria sofrer e morrer, “chamando-O à parte, começou a reprova-Lo, dizendo: ’Tem compaixão de Ti, Senhor. Isso de modo algum Te acontecerá!” – e, com esse tipo de conversa, a coisa mudou de figura. Cristo revela que ele, Pedro, agora, estava sendo usado pelo inimigo. De um instante para outro, o discípulo deixou de servir a Deus para servir o inimigo de Deus. E, nesse caso, nada de parabéns, Pedro!

Disse Jesus: “Arreda, Satanás! Tu és para Mim pedra de tropeço”.

Bem, isso precisa ser entendido assim: Que Satanás fosse embora de Pedro, mas não que Pedro fosse embora de Jesus! Somente Satanás! Pedro necessitava era de ficar mais e mais perto de Jesus. Ele, Pedro, era muito bem-vindo!

Temos um pouco desse Pedro em nós? Altos e baixos? Acertos e erros? Mas, também, confiamos que o Senhor não nos abandona? Tal qual Pedro, embora os erros, aceitamos continuar com Jesus?

[28/03] Terça-feira – Uma das mais belas histórias da Bíblia – Mateus 14:22-31. Quando Pedro viu Jesus vindo em sua direção, andando por sobre as águas, disse: “Se és Tu, Senhor, manda-me ir ter contigo”. E Jesus respondeu: “Vem!” – “E Pedro, descendo do barco, andou por sobre as águas e foi ter com Jesus”.

Que coisa extraordinária! Andar sobre as águas! Só Jesus e Pedro andaram sobre as águas! Os demais discípulos não tiveram a mesma coragem. Se intimidaram. Eu não duvido que Jesus os teria recebido, caso fossem também. Mas não foram. Só Pedro foi. Que coisa extraordinária!

Já ouvi muitos sermões sobre essa passagem. Coitado de Pedro! Quantos pregadores desceram a lenha no discípulo de Jesus! Raríssimos pregadores deram ênfase a parte mais importante da história. Raríssimos!

Irmãos, é verdade que Pedro afundou antes de chegar próximo a Jesus. Isso é verdade. Talvez medo. Dúvida. Quem sabe orgulho. Se temos um pouco desse Pedro em nós, é possível que tenhamos a resposta correta. Mas, convenhamos, e aqui está o motivo de eu considerar esta uma das mais belas histórias da Bíblia, Pedro expressou verbalmente as palavras que Jesus mais gosta de ouvir – e ele as falou porque tinha certeza do que estava falando – tinha certeza que Jesus iria atendê-lo – teve coragem de ir ter com Jesus e teve coragem de dizer para Jesus: “Senhor, salva-me!

E diz o relato inspirado pelo Espírito Santo, que Jesus fez o gesto que mais gosta de fazer: “Prontamente, Jesus, estendendo a mão, o salvou”.

Ele não ralhou com o Seu discípulo. Ele não disse: “Primeiro você vai beber um pouco dessa água”. Ele não disse: “Espera aí um pouquinho. Eu vou ali perguntar para os outros discípulos o que eles acham que Eu devo fazer. Espera aí que Eu já volto”. Não! O relato bíblico é claro: “Imediatamente, Jesus, estendendo a mão, o salvou”.

Parabéns, Pedro! Você aprendeu primeiro para depois ensinar a igreja de Cristo.

[29/03] Quarta-feiraLucas 22:54-62. No pátio da casa do sumo sacerdote, Pedro ouviu o galo cantar. Mas, antes disso, por três vezes negou que sabia quem era Jesus. Negou que era um dos Seus discípulos. Mas, antes disso também, nos versos 31 a 34, Jesus já o havia alertado: “’Simão, Simão, eis que Satanás vos reclamou para vos peneirar como trigo! Eu, porém, roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça; tu, pois, quando te converteres, fortalece os teus irmãos’. Ele, porém, respondeu: ‘Senhor, estou pronto a ir contigo, tanto para a prisão como para a morte’. Mas Jesus lhe disse: ‘Afirmo-te, Pedro, que, hoje, três vezes negarás que Me conheces, antes que o galo cante’”.

Irmãos, essa passagem é reveladora! Jesus sabia que Satanás continuava a rondar. Sabia que o inimigo pleiteava predominar sobre os motivos e ações de Seu querido discípulo. E orou para que ele, Pedro, vencesse a prova. Não tirou a prova. Mas orou para que ele a vencesse.

Ah, irmãos! Se Pedro tivesse pedido para Jesus fazer mais uma oração, e agora juntos, quanta diferença! Se Pedro tivesse pedido que Jesus rogasse mais uma vez!

Bem, mais uma vez Pedro se prontificou a ir com o Mestre, e foi. E mais uma vez, não sei porque, não sei se por medo, ou por dúvida – quem tem um pouco de Pedro que responda – Pedro afundou, e negou que conhecia a Jesus.

Me veio um pensamento: Se Pedro dissesse que O conhecia, isso mudaria a sorte de Jesus? Será que Pedro seria preso com o seu Senhor? Será que Pedro seria crucificado com o Mestre?

Bem, isso não sabemos. O que sabemos é que, antes da negação, Jesus lançou luz sobre essas trevas. Disse Ele: “Quando te converteres, fortalece os teus irmãos”.

E é justamente isso o que acontece. Pedro é convertido. E se torna um dos grandes fortalecedores da igreja de Cristo. É isso que ele faz durante o resto de sua vida. É isso que ele faz, também, ao escrever duas Cartas para a igreja de Jesus Cristo.

Irmãos, temos um pouco desse Pedro em nós?

[30/03] Quinta-feiraPedro como líder da igreja. Jesus morreu, ressuscitou e foi para o Céu. Neste período, outras histórias de Pedro nos foram contadas. (Veja o Livro de Atos). Vem o Pentecostes e o prometido derramamento do Espírito Santo. Então, Pedro, tomado pelo poder de Deus, assume a posição de servo de Deus e de Sua igreja. Pedro serve a igreja do Senhor. A partir daí, a história de Pedro se confunde com a história da igreja cristã primitiva. Acertos e erros. Erros e acertos. E Deus dirige os motivos e as ações de Seu servo Pedro.

Nunca jamais saiu da mente de Pedro os dizeres de Jesus: “Apascenta as Minhas ovelhas”.

Irmãos, o que vai ser estudado a partir da Lição 2 – todos os capítulos e versículos das duas Cartas de Pedro – indica que Pedro sabia, e muito bem, o quanto dependemos de Jesus Cristo durante a nossa jornada cristã. Pedro sabia do leão que ruge ao nosso redor. Ele sabia do valor das Sagradas Escrituras. Ele sabia que devemos falar da esperança da breve volta de nosso Salvador. Ele sabia que devemos amar e perdoar. Pedro sabia do que estava escrevendo. Ele sabia.

Que Deus nos abençoe. Tenhamos um ótimo trimestre.

Vocês sabem para onde Pedro foi assim que negou o Mestre, assim que Jesus lançou sobre ele o Seu olhar? Quer ler sobre isso? Se sim, clique aqui – Vidas Que Falam, pág. 313 (Meditação Matinal de 03/11/1971).

Feliz semana!

Lembrem-se de ler a Meditação Matinal de hoje – basta clicar aqui.

Lição da Escola Sabatina 2017 – Comentário feito por Carlos Bitencourt

Anúncios

Sobre Ligado na Videira

Ligado na Videira
Esse post foi publicado em a lição da semana, Comentário da Lição da Escola Sabatina, Ligado na Videira e marcado , , , . Guardar link permanente.

6 respostas para Comentário da Lição da Escola Sabatina Ligado na Videira – Lição 1 – Conhecendo Pedro – Apascenta as Minhas Ovelhas – 1 e 2Pedro

  1. Luiz Carlos disse:

    Irmão se possível toda vez q for publicar o comentário dá LES, digite os dias em cada parágrafo. O Senhor logo vem. Obg

  2. William disse:

    òtimo material para estudo, parabéns! seria possível ter opção de imprimir?

    • William,
      Legal saber que você gostou. Deus o abençoe através da leitura.
      Irmão, o wordpress não disponibiliza uma impressão automática. O jeito é copiar e imprimir.
      O sábado se aproxima. Que você, sua família e sua igreja local tenham um ótimo sábado!

      Carlos Bitencourt
      Cascavel-Paraná

  3. margarida disse:

    Com certeza os discipulos sinceros sempre terão um pouco d Pedro qdo erra e qdo acerta…mto forte a luta d Jesus com o Leão devorador…saber q Ele orou pela vitória d Pedro me dá a certeza q Ele tbm ora por cada um d nós,só tenho q agradecer e continuar fazendo o melhor em Sua Igreja

Escreva um comentário. Compartilhe sua opinião.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s