Comentário da Lição da Escola Sabatina Ligado na Videira – Lição 6 – O Espírito Santo e a vida santificada

Comentário da Lição da Escola Sabatina Ligado na Videira – Lição 6 O Espírito Santo e a vida santificada

Talvez para economizar um pouquinho de tinta, ficou faltando a palavra “minha” no título da Lição. Então, permitam-me a complementação: o título e o tema da Lição é O Espírito Santo e a minhavida santificada. Ok? Corrigido? Entendido? Minha. A minha vida santificada!

Quando Deus disse “façamos o homem conforme a nossa imagem e semelhança”, porque Ele é santo, a santidade estava na humanidade. O homem foi criado “santo”. Dentre tudo o que Ele nos deu, a santidade foi dada também. No outro extremo, quando a humanidade pecou, perdeu a santidade. Quando caiu, caiu do estado santo.

Irmãos, nós perdemos a santidade!

Bem, como sabemos disso? A resposta é uma só: porque Ele não nos abandonou, achou por bem nos revelar através das Sagradas Escrituras – ou seja, uma das obras do Espírito “Santo” através da Bíblia e da consciência é nos esclarecer quanto a (1) posição que já ocupamos, (2) a atual em que nos encontramos, e (3) a que Ele deseja que “retornemos”. Por sinal, há um verso bíblico bastante esclarecedor sobre isso: “Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor”. Em Hebreus 11 vimos os heróis da fé, e, na sequência, no capítulo 12, no verso 14, dando continuidade ao raciocínio de “herói”, de pessoas que visualizaram a coroa de glória, de pessoas que viveram a vida de vencedor, o Espírito Santo inspirou Paulo a nos ensinar que, sem a santificação, ninguém verá a Deus.

Sugerimos a seguinte leitura adicional: “Santificação – obra de uma existência”, na Meditação Matinal de 20/04/1959 – clique aqui.

Na Lição de domingo, em “A santidade de Deus”, os versos sugeridos são bastante fortes também. Está escrito em 1Pedro 1:13-16 – “Portanto, estejam prontos para agir. Continuem alertas e ponham toda a sua esperança na bênção que será dada a vocês quando Jesus Cristo for revelado. Sejam obedientes a Deus e não deixem que a vida de vocês seja dominada por aqueles desejos que vocês tinham quando ainda eram ignorantes. Pelo contrário, sejam santos em tudo o que fizerem, assim como Deus, que os chamou, é santo. Porque as Escrituras Sagradas dizem: ‘Sejam santos porque Eu Sou Santo’” (NTLH).

No tempo da escrita bíblica, a ênfase não era dada em “negrito” e nem em “sublinhado”. Em vez disso, o escritor repetia a palavra. Por exemplo: “Em verdade, em verdade vos digo…” – “Jerusalém, Jerusalém…” – “Marta, Marta…”. Interessante, então, é que para a expressão “santidade de Deus”, o escritor escrevia três vezes: “Santo, Santo, Santo”.

Irmãos, Deus é Santo, Santo, Santo. E Seu chamado não nos exige menos do que isso. “Sede também santos em toda a vossa maneira de viver, porquanto escrito está: ‘Sede santos, porque Eu Sou Santo’” (ARC).

Aceita uma leitura a mais? Leia “Corpo, alma e espírito santificados”, em Minha Consagração Hoje, pág. 248 (Meditação Matinal de 01/09/1953) – clique aqui. 

Para segunda-feira, falando de “A natureza da santidade”, bastava comentar sobre “a origem” da santidade, “a fonte” da santidade. A santidade vem de um Deus Santo. Somos de um Deus Santo. Pertencemos ao Santo Deus.

Porém, é bom salientar que o chamado para ser santo tem dois entendimentos: (1) ser santo é ser “separado” para um propósito – o sábado, por exemplo, foi separado para um objetivo diferente dos demais dias da semana; tal separação cumpre um propósito santo; (2) ser santo é ser “puro”, o sentido que mais conhecemos; é ser isento de atos pecaminosos.

Em Efésios 1:3 e 4, Paulo se expressou assim: “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo, assim como nos escolheu, nEle, antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis perante Ele”.

Nesse caso, devemos compreender, também, a diferença entre “atos pecaminosos” e “natureza pecaminosa”. Na criação, tínhamos natureza divina, santa, e, portanto, isenta de atos pecaminosos (Eis o motivo de ser inexplicável Adão ter aceitado pecar, bem como a gravidade de seu ato). Com a queda, então, passamos a ter a natureza pecaminosa.

Interessante, porém, é que Deus nos chama a não ter atos pecaminosos, a não praticar pecados, a não revelar os frutos do reino do inimigo. E, embora somente na segunda vinda de Cristo é que deixaremos de possuir a natureza pecaminosa, deseja Ele, agora, e nos capacita para isso, a não ter atos pecaminosos. Num português bastante claro, embora pecador, um pecador sem pecado; um ser de natureza pecaminosa, que, em permanente busca de santidade, vive sem atos pecaminosos – não que não tenha errado, mas, pela graça de Deus, supera todo defeito de caráter.

Parece estranho, não é verdade? Mas, antes que alguém brigue comigo, uso aqui a Palavra de Deus: “Todo aquele que permanece nEle não vive pecando” (1João 3:6). “E olhei, e eis que estava o Cordeiro sobre o monte Sião, e com Ele cento e quarenta e quatro mil, que em sua testa tinham escrito o nome dEle e o de Seu Pai.  Estes são os que dentre os homens foram comprados como primícias para Deus e para o Cordeiro. E na sua boca não se achou engano; porque são irrepreensíveis diante do trono de Deus” (Apocalipse 14:1, 4 e 5).

Na terça, falando sobre “O Agente da santificação”, vários versículos são sugeridos. Um mais excelente que o outro. Vale a pena a leitura de cada um.

Um deles diz assim: “Sejam obedientes, estejam prontos para toda boa obra, não difamem a ninguém; nem sejam questionadores, mas cordatos, dando provas de toda cortesia, para com todos os homens. Pois nós também, outrora, éramos néscios, desobedientes, desgarrados, escravos de toda sorte de paixões e prazeres, vivendo em malícia e inveja, odiosos e odiando-nos uns aos outros. Quando, porém, se manifestou a benignidade de Deus, nosso Salvador, e o Seu amor para com todos, não por obras de justiça praticadas por nós, mas segundo Sua misericórdia, Ele nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo, que Ele derramou sobre nós ricamente, por meio de Jesus Cristo, nosso Salvador” (Tito 3:1-6).

Irmãos, cerimônias religiosas não mudam a nossa natureza pecaminosa. A única opção é aceitar a solução de Deus para o problema do pecado. Além de nos perdoar, é Ele somente quem nos pode “restaurar”, nos “regenerar”. E a Sua maneira é chamada de “santificação”. “O lavar regenerador e renovador do Espírito Santo”.

Disso a importância de entender e aceitar a “pessoalidade” do Espírito Santo. É com um ser pessoal que mantemos relacionamento. E, por esse relacionamento, por esse convívio, por essa amizade, a cada dia, mais somos transformados segundo a Sua semelhança.

Diga-me com quem andas, e eu te direi quem és”. Ele é uma Pessoa Santa!

Na quarta, nos é ensinado que “O padrão de santidade é a Lei de Deus”.

Ora, no governo de Deus há uma Lei. Essa Lei, por sua vez, revela o caráter de nosso Governante. Sendo assim, “obedecer a Sua Lei” equivale a dizer “obedecer ao Seu caráter”. Obedecer a Sua Lei significa aceitar que Ele governe a nossa vida.

Como todos sabemos, tem sido o trabalho do inimigo diminuir (entre nós, adventistas) a importância da obediência a Lei de Deus. (Notaram? Não estou falando “diminuir entre os evangélicos”, mas entre nós, adventistas do sétimo dia. A Lição é para nós!). Para ele, Satanás, tudo é relativo. Ora, se fosse “relativo”, bastava Deus ter dito a Adão que iria passar um errorex em seu pecado – aliás, se fosse relativo, nem pecado teria sido! Se fosse “relativo”, de Jesus não seria pedido a Sua vida na cruz do Calvário – aliás, nem haveria a necessidade de Sua vida de obediência entre nós!

Irmãos, a vida de todos os seres do Universo sempre foi, é, e sempre será “aferida” pela Lei do governo de Deus. É verdade que é Jesus quem nos salva, mas também é verdade que Ele não nos salva para continuarmos na desobediência. Sua Lei foi desrespeitada. Sua Lei precisa ser respeitada.

Como é importante estudar sobre a vida e o sacrifício de Jesus!

Irmãos, na cruz Ele não somente nos salvou, mas também exaltou a santidade e a importância da Lei de Deus. O Seu sacrifício foi aceito porque Ele “obedeceu” a Lei de Deus! A Lei de Deus foi “padrão” inclusive para o próprio Senhor Jesus! Aliás, a Sua Lei será o padrão para o juízo de todos os seres humanos e de todos os anjos caídos!!!

Na quinta, “Buscando santidade”. E o que prefiro destacar é a palavra “buscando”.

Irmãos, devemos buscar constantemente. Nunca achar que já a conquistamos por completo (Lembrem-se da natureza pecaminosa!). O segredo é buscar, e buscar, e buscar. E sempre na certeza de que o nosso Senhor Espírito Santo vai estar nos ajudando, e ajudando, e ajudando. Ele é o nosso incansável “Ajudador”.

“A santificação é uma obra diária. Ninguém se engane a si mesmo com a suposição de que Deus o perdoará e abençoará enquanto está pisando um de Seus mandamentos. A prática voluntária de um pecado conhecido silencia a testemunhadora voz do Espírito e separa de Deus a alma” (Exaltai-O, pág. 145 – Meditação Matinal de 10/05/1992).

“Deus requer perfeição moral em todos. Os que receberam luz e oportunidades devem, como mordomos de Deus, aspirar à perfeição, e nunca, nunca baixar a norma de justiça a fim de acomodar tendências herdadas e cultivadas para o mal” (Este Dia Com Deus, pág. 30 – Meditação Matinal de 24/01/1980).

“Nossa santificação é o objetivo de Deus em todo o Seu trato conosco. Ele nos escolheu desde a eternidade para que fôssemos santos” (Olhando Para o Alto, pág. 278 – Meditação Matinal de 27/09/1983).

“Não temos poder em nós mesmos para purificar o templo da alma de sua contaminação; mas ao nos arrependermos de nossos pecados contra Deus e procurarmos perdão mediante os méritos de Cristo, Ele comunicará aquela fé que opera por amor e purifica o coração. Pela fé em Cristo e obediência à lei de Deus, podemos ser santificados e assim obter aptidão para a sociedade com os santos anjos e os remidos vestidos de branco no reino da glória” (Santificação, págs. 92 e 93).

Bem, esta é a minha contribuição. Desejo que todos tenham uma semana feliz, na doce companhia de Deus e de Seus anjos. E espero que os nossos leitores nos relatem seus comentários (o que pode ser feito no quadro mais abaixo).

Lembrem-se de ler a Meditação Matinal de hoje – basta clicar aqui.

Boa semana!

Lição da Escola Sabatina 2017 – Comentário feito por Carlos Bitencourt

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Sobre Ligado na Videira

Ligado na Videira
Esse post foi publicado em a lição da semana, Comentário da Lição da Escola Sabatina, Ligado na Videira e marcado , , , . Guardar link permanente.

8 respostas para Comentário da Lição da Escola Sabatina Ligado na Videira – Lição 6 – O Espírito Santo e a vida santificada

  1. Wilmar disse:

    Que você continue sempre ao lado de Deus, para ter uma visão clara dá vontade Divina, e assim passar pra nós. Muito obrigado pela sua dedicação.

    • Wilmar,
      Agradecemos as gentis e incentivadoras palavras. Deus seja louvado!
      Desejo que o Senhor o abençoe, juntamente com sua família e igreja local.
      Sinta-se à vontade aqui conosco. Leia, comente, e, na medida do possível, indique nosso blog para mais pessoas.
      Um ótimo dia!

      Carlos Bitencourt
      Cascavel-Paraná

  2. Claudio Cesar silva de Pinho disse:

    Meu irmão muito obrigado pelo comentário inspirador dessa lição, que o Deus espirito santo continue a te inspirar, Deus seja louvado!!!

  3. vera iucia santana andrade disse:

    O comentário da lição é de muita ajuda pra todos nos só enriquece nossas manhã ao meditar obrigado por nos da esse privilegio

  4. sergio mendes disse:

    Embora um pouco atrasado, mas gostaria de comentar que esse assunto da santificação é um dos mais importantes da igreja se não o mais importante, pois muitos entendem de forma distorcida o que Deus requer de seus filhos. A vida de santificação é na verdade a obra do Deus Espírito Santo que cedemos o Seu trabalhar em nós, tirando o EU de lado, colocando a Cristo. Em enumeras passagens da Bíblia e do Espírito de Profecia, é bem claro a instrução de Deus para com os seus filhos, reclamando vida santa. Em suma, Deus nos capacita a sermos santos e puros, o que precisamos é estar fortemente ligado a todo momento, a todo momento mesmo, na Videira Verdadeira.

Escreva um comentário. Compartilhe sua opinião.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s