Por que o Espírito Santo é chamado de “Conselheiro” no Evangelho de João? (fevereiro/2012)

O termo grego parakletos, traduzido como “conselheiro” em algumas versões da Bíblia, não tem equivalência exata em português. Ele foi usado na literatura grega para se referir a uma pessoa chamada para auxiliar alguém, ou que se apresenta em nome de outra pessoa como conselheiro, intercessor, mediador, ajudante ou como advogado no tribunal. Quando Jesus usa esse termo para o Espírito Santo, revela algo sobre a natureza e função do Espírito. Uma vez que o termo é usado exclusivamente nos escritos de João, examinarei essas passagens.

1. Jesus e o Conselheiro: Em João, assim como em todo Novo Testamento, Jesus e o Espírito são muito próximos. Não são, porém, a mesma pessoa. Em João, Jesus identifica o parakletos com o Espírito (João 16:15), o Espírito Santo (João 14:26), e o Espírito da verdade (João 14:17; 15:26; 16:13). Em outras palavras, Ele usou uma nova terminologia para Se referir ao Espírito Santo. Quando Jesus diz “outro Consolador” (14:16, ACRF/NVI; conforme 1João 2:1), inferindo que Ele também é um conselheiro, está fazendo uma clara distinção entre Ele (Jesus) e o Espírito. A diferença entre os dois também é acentuada pelo fato de o Espírito (parakletos) ser enviado pelo Pai, quando solicitado pelo Filho (João 14:16 e 26). Finalmente, a diferença entre os dois é indicada pelo fato de que a vinda do Espírito acontece após Jesus retornar para o Pai (João 16:7). O Espírito (parakletos) permanecerá com Seu povo para sempre (João 14:16). Por tanto, diferente de Jesus, o Espírito não retornará para o Pai enquanto o povo de Deus ainda estiver no mundo. Ele tomará o lugar de Jesus na Terra.

2. Funções do Conselheiro: Três funções específicas são atribuídas ao Espírito (parakletos). Ele é professor: Ele “lhes ensinará todas as coisas e lhes fará lembrar tudo o que Eu lhes disse” (João 14:26, NVI). O Espírito edificará a igreja sobre a base dos ensinamentos de Jesus, lembrando os Seus ensinos aos discípulos e revelando seu significado profundo. Ele também revelará a eles o conteúdo escatológico da mensagem de Jesus (João 16:13). É somente nesse sentido que o Espírito “os guiará em toda verdade” (João 16:13, NVI). Segundo, e intimamente relacionado com o anterior, o Espírito glorifica Jesus. Jesus é glorificado quando o Espírito nos revela o que pertence a Jesus (João 16:13). Ele glorifica a Si mesmo, não quando nos concede coisas novas, mas ao nos dizer que tudo o que recebemos vem de Jesus. Terceiro, o papel do Espírito é testemunhar contra o mundo em nome de Jesus e de Seu povo. A vinda do Espírito testifica do fato de que os fieis pertencem a Deus, radicalizando, assim, a distinção entre eles e o mundo. Junto aos fieis, o Espírito também testifica em nome de Jesus ao chamar as pessoas para virem a Jesus como O exaltado (João 15:25-26). Seu testemunho contra o mundo é devido ao fato de Jesus ter sido rejeitado pelo mundo, o pecado que o caracteriza e o julgamento de Deus contra o mal (João 16:8-11).

3. Natureza do Espírito: Ao chamar o Espírito de “outro Conselheiro” Jesus declarou de uma vez por todas que o Espírito é uma pessoa como Ele. Embora no grego o substantivo “espírito” (pneuma) seja neutro, o substantivo “conselheiro” (parakletos) é masculino e pessoal. O Espírito não é neutro, mas um ser divino e pessoal. Sua divindade é mencionada por Jesus quando Ele diz que o Espírito “provém do Pai” (ekperuomai) indicando o lugar de origem do Espírito. Seu local de existência natural é junto ao mistério da Trindade, e Ele é enviado por Deus. Ao identificar o Espírito como parakletos, Jesus nos deu uma forma de pensar no Espírito como uma pessoa. Podemos visualizá-Lo como Conselheiro, como uma pessoa que nos ajuda em tempo de necessidade (consolador), e que nos acompanha durante nossa peregrinação, nos sustentando, nos transformando e nos revelando o que pertence a Jesus. O Espírito fala por nós e a nós; Ele é o parakletos.
Angel Manuel Rodríguez, Revista “Adventist World” – Fevereiro 2012

Para mais artigos de Angel Manuel Rodríguez, clique aqui.

Anúncios

Sobre Ligado na Videira

Ligado na Videira
Esse post foi publicado em Angel Manuel Rodríguez e marcado , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Por que o Espírito Santo é chamado de “Conselheiro” no Evangelho de João? (fevereiro/2012)

  1. Edla Santos disse:

    Muitas vezes falamos do espírito santo , sem nem ao menos conhecermos quem é ele de verdade, muitas vezes parece que pensamos que o espírito tem que está a nossa disposição a todos os momentos

Escreva um comentário. Compartilhe sua opinião.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s