Haverá casamento no Céu? – Marcos 12:25; Lucas 20:35-36 (agosto/2012)

Haverá casamento no Céu?

Frequentemente ouço essa pergunta feita por solteiros e, às vezes, por alguém casado. Os solteiros querem saber, porque se não houver casamento no Céu, querem se casar e ter filhos aqui. Não tenho certeza porque os que já são casados fazem essa pergunta, mas na maioria dos casos parece que gostariam de continuar seu relacionamento no Céu. (Porém, em alguns casos, não veem a hora de se libertar do relacionamento!) A resposta, muito clara na Bíblia, parece criar um problema teológico.

1. A Resposta de Jesus: Os saduceus fizeram essa pergunta a Jesus esperando refutar a doutrina da ressurreição. Eles apresentaram um caso hipotético baseado na lei bíblica do levirato – onde o irmão de um homem que morreu sem ter filhos, devia se casar com a viúva para ter filhos e preservar a genealogia do irmão morto (veja Deuteronômio 25:5-6). Os saduceus falaram de sete irmãos que, em cumprimento da lei, tiveram que se casar com a mesma mulher porque nenhum deles teve filhos com ela. E perguntaram a Jesus: “Na ressurreição, de quem ela será esposa, visto que os sete foram casados com ela?” (Marcos 12:23). Essa foi uma tentativa de lançar dúvida sobre a doutrina da ressurreição. Jesus os chamou de ignorantes: eles não conheciam o que as Escrituras ensinavam sobre a ressurreição, muito menos o poder de Deus que é capaz de trazer o morto de volta à vida. Então, Ele abordou a premissa implícita na questão. Os saduceus pensavam que a vida após a ressurreição seria uma continuação da vida como a conhecemos agora. Jesus os surpreendeu destacando um elemento importante de descontinuidade: “Quando os mortos ressuscitam, não se casam nem são dados em casamento, mas são como os anjos nos céus” (Marcos 12:25). Segundo Lucas, Jesus esclareceu o pensamento dizendo que “Não se casarão nem serão dados em casamento… pois são como os anjos. São filhos de Deus, visto que são filhos da ressurreição” (Lucas 20:35-36). Na ressurreição as pessoas não se casarão, porque na ausência da morte não há necessidade de perpetuar a raça humana por meio da reprodução. Nesse sentido, os seres humanos serão como os anjos, que não se casam porque não morrem.

2. Implicações Teológicas: A resposta de Jesus cria um dilema teológico na mente de alguns: Se o casamento, como o sábado, foi instituído antes da entrada do pecado, por que seria incompatível com a vida na nova Terra? Isso não sugere que o pecado arruinou uma instituição divina de forma irreparável e que o plano divino para a humanidade foi arruinado pelo mal? Essas perguntas são importantes e merecem ser comentadas, mesmo que não possamos dar todas as respostas. Para abordar a questão teológica levantada aqui tenho que assumir que Deus, originalmente, não havia planejado que o casamento fosse uma instituição social permanente ou eterna. Essa ideia parece ser sugerida no Gênesis. O casamento tinha duas funções claras e intimamente relacionadas: procriação e companheirismo. A procriação tinha um objetivo muito específico – “Sejam férteis e multipliquem-se! Encham e subjuguem a terra!” (Gênesis 1:28) – inferindo que na ausência da morte, uma vez que o objetivo fosse alcançado, não haveria mais procriação. Essa ideia foi confirmada por Jesus em Sua resposta aos saduceus. Como uma expressão de companheirismo o casamento foi na ausência do pecado transcendido por uma profunda comunhão e união com Deus. Provavelmente a intenção nunca tenha sido de que o círculo do companheirismo fosse o casamento, mas o relacionamento com a família cósmica de Deus. É para essa experiência profunda – e no presente, misteriosa – que Jesus Se referiu quando disse que os ressurretos “são filhos de Deus, visto que são filhos da ressurreição” (Lucas 20:36, NIV). Essa é a referência da vida familiar que é infinitamente mais profunda do que o casamento, enriquecendo-nos de tal maneira que não podemos nem sequer começar a imaginar. Nossos entes queridos alcançarão a dimensão cósmica na pureza do amor altruísta.

Sinta-se livre para discordar de mim.

Angel Manuel Rodríguez, Revista “Adventist World” – Agosto 2012

Para mais artigos de Angel Manuel Rodríguez, clique aqui.

Anúncios

Sobre Ligado na Videira

Ligado na Videira
Esse post foi publicado em Angel Manuel Rodríguez e marcado , , . Guardar link permanente.

7 respostas para Haverá casamento no Céu? – Marcos 12:25; Lucas 20:35-36 (agosto/2012)

  1. Alceu Souza Reis Junior disse:

    Outra razão de muito não acreditarem no que Jesus falou é pela ausência de sexo. Eu acrescentaria o seguinte comentário. Quando em casa de nossos pais, onde vivemos com nossas irmãs e irmãos, nao sentimos esse desejo ums pelos outros, sendo assim creio que viveremos no céu como uma grande familia, onde noa sentiremos falta de sexo e nem precisaremos procriar. Por isso seremos como os anjos.

  2. amanda disse:

    nao entendi muito bem o texto,si vc poder me explicar a parte que eu nao entendi ficarei agradecida.
    A parte que eu nao entendi foi a parte em que vc falo”Nesse sentido, os seres humanos serão como os anjos, que não se casam porque não morrem.”Eu entendi que nos seremos igual a anjos e nao teremos desejos e tals…Mais so pq nos nao vamos morrer,a gente nao vai poder si casar?foi essa a parte que eu nao entendi,pq quando vc si casa com a pessoa ,que dizer que vc ama ela e quer si unir a ela, entao pq nos nao vamos poder nos casar no ceu alem desse motivo q vc escreveu acima??

    • Amanda,
      Meu nome é Carlos, e sou o administrador do blog Ligado na Videira. O artigo acima é de autoria de Ángel Manuel Rodríguez, então diretor do Instituto Bíblico da Associação Geral da Igreja Adventista. Copiei da Revista Adventist World, de agosto 2012.
      Eu não sei explicar o motivo de ele ter escrito seguindo essa linha de raciocínio. Não faço a menor ideia de onde ele tirou esses argumentos.
      Particularmente, creio que Deus também poderia nos ter feito como fez os anjos: aos milhares. Nada de macho e fêmea; nada de casamento; nada de procriação. Mas assim não foi.
      O mais perto, então, que consigo chegar, tem por base o que está escrito no Espírito de Profecia:

      “Era o propósito de Deus repovoar o Céu com a família humana, caso ela se demonstrasse obediente a cada palavra divina” (Cristo Triunfante, pág. 26 Meditação Matinal de 20/01/2002).

      “O Céu triunfará pois as vagas deixadas pelos anjos caídos de Satanás e sua hoste serão preenchidas pelos redimidos do Senhor” (Olhando Para o Alto, pág. 55 – Meditação Matinal de 16/02/1983).

      • Hi disse:

        Onde na bíblia diz que os anjos não tem sexo? A única passagem que sustenta essa ideia é, justamente, a passagem que, supostamente, diz que no céu não seremos casados pois seremos como os anjos. É só ler a passagem equivalente em Lucas (20:35-36) que percebemos que ser igual aos anjos significar ser imortal, não assexuado (lembrando que as pessoas pensam que os anjos são assexuados por que são “mensageiros de luz, seres espirituais” e portanto não tem corpo carnal, logo sexo, logo não são casados. Essa divisão de carne e espirito dos gregos arraigou em nossa cultura). Não há nem uma passagem bíblica que sustente o fato dos anjos serem assexuados, muito menos de que o casamento é algo temporário (ou que essa foi a intenção inicial de Deus, criando um prazo de validade. E sinceramente, tenho pena de quem pensa que casamento só serve para reprodução ou prazer sexual). A verdade é que a bíblia não trás luz sobre esses assuntos (sexo dos anjos e casamento no céu), e silêncio é prudencia. A própria escritora Ellen White é muito mal compreendida quando se trata do assunto do casamento no céu, pois as pessoas se utilizam da afirmação em que ela diz ser diabólico quem pensa que no céu constituirá família, mas se esquecem de ler o contexto, onde ela alerta que os jovens não deveriam sonhar em se casar no céu e continuar o ciclo natural da Terra de reprodução etc. Mensagens a jovens namorados ela diz que o casamento é tão importante que influencia a vida futura na terra e no céu, isso ninguém se lembra rs. Recomendo a leitura do professor, teólogo e escritor adventista Samuele Bacchiocchi, já falecido. Ele disserta um pouco sobre essas coisas que eu comentei acima. Ah, apenas mais um adendo, os sauduceus NUNCA quiseram saber sobre o casamento no céu, e sim sobre a ressurreição, afinal, eles não acreditavam nela e queriam fazer uma pegadinha. Qual motivo Jesus teria em responder sobre o casamento, se eles não queriam saber sobre isso? O único motivo que levou a mulher a se casar com os 7 irmãos foi para manter a descendência do primeiro, e Jesus deixa bem claro que no céu isso não será um problema, pois seremos todos membros de uma mesma família (é difícil entendermos isso, mas pense em como a descendência familiar era algo fechado e importante na época). Seremos como os anjos do céu, sim, imortais. Seremos todos filhos de Deus, pois seremos filhos da ressurreição, sem preocupação em manter nosso nome “vivo” através de nossos filhos. Onde que isso é argumento para não haver casamento, nem mesmo daqueles que já são casados? A própria Ellen White disse que a presença dos anjos não era suficiente para Adão (emocionalmente falando, Adão nem conhecia sexo antes de Eva). Não estou dizendo que no céu haverá casamento, apenas que os argumentos que sustentam a ideia contraria são fracos, e quando a bíblia não trás luz sobre algum assunto, o silêncio é prudência.

  3. Renata Santos disse:

    Tenho a mesma opinião que o Alceu que comentou aqui também.

  4. André Barreto disse:

    Bem interessante

Escreva um comentário. Compartilhe sua opinião.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s