Os adventistas devem comemorar o Natal? (dezembro/2010)

Recebo, todos os anos, cartas e telefonemas perguntando se os adventistas estão certos ao comemorar o Natal. Existem duas razões para a dúvida: (1) o fato de que não existem informações bíblicas sobre a data do nascimento de Cristo e (2) a alegação de que a data de 25 de dezembro é associada a uma festa pagã. Deixe-me apresentar algumas informações históricas sobre a celebração do Natal e dizer algo sobre seu significado.

1. O Natal e os adventistas: Antes de responder à pergunta, quero deixar claro que os adventistas não são, nem deveriam ser, contra o Natal. Por que seríamos contra uma comemoração na qual os cristãos lembram o nascimento de nosso Salvador? No entanto, como essa não é uma festa ordenada pela Bíblia, não cremos que seja obrigatório comemorá-lo nem deve ser considerado um dia santo.

Reconhecemos apenas um dia santo, o sábado, e o observamos em obediência a nosso Criador e Redentor.

2. O Natal e a história: Sabe-se que o termo “Christmas” (Natal, em inglês) é derivado da antiga palavra inglesa “Christmesse”, que significa “missa de Cristo”. O termo se originou na Idade Média com a prática de celebrar uma missa à meia-noite, na véspera de 25 de dezembro, em comemoração ao nascimento de Cristo. Em outros idiomas, ele é denominado “Natividade”, “Nascimento” (do latim, natalis) ou “Santa Noite” (no alemão, Weihnachten). A palavra em português, “Natal”, deriva do latim natalis.

A história dessa festa cristã permanece obscura. Os historiadores sugerem que a festa da natividade começou a ser observada pelos cristãos durante o quarto século. Alguns cristãos calculam a data baseando-se na ideia de que Cristo morreu no dia 25 de março. Assim, especulam que Ele deve ter nascido nove meses depois dessa data, no dia 25 de dezembro. Outros consideram o dia 25 de março como a data em que Jesus nasceu. A explicação mais comum, porém, é que o Natal, de algum modo, está associado ao culto romano ao “Sol Invencível” (em latim, Solis Invictus), o renascimento do sol, que era celebrado no dia 25 de dezembro. Isso pode explicar a importância das luzes durante a celebração do Natal, embora “luz” também seja associada a Cristo nas Escrituras (por exemplo, Lucas 1:78). Por isso, é comum ouvirmos a alegação de que os cristãos adotaram e adaptaram uma festa pagã. Isso é possível, mas difícil de ser provado, porque existem muito poucas evidências históricas.

3. O Natal e o cristão: Devemos reconhecer dois fatos. Primeiro, não sabemos por que Deus, em Sua providência, escolheu não preservar um registro do dia do nascimento de Jesus. Portanto, não há necessidade de especular sobre o assunto. Segundo, o fato de que o mundo cristão celebra o nascimento de Jesus no dia 25 de dezembro não pode ser mudado nem existe uma razão para tentar mudar. Os que rejeitam essa festa baseiam-se na falta de evidências bíblicas e sua possível conexão com uma festa pagã. No entanto, deveríamos deixar que o assunto fosse tratado de acordo com a consciência de cada indivíduo.

Dito isso, deixe-me declarar mais uma vez que não há absolutamente nada de errado em selecionar um período em particular para refletir na vinda de nosso Salvador à Terra. Minha sugestão é que, durante o Natal, gastemos tempo refletindo sobre o mistério da Encarnação. Esse é um mistério que testifica do fato de que o Filho de Deus tornou-Se “carne” (João 1:14). O Criador tornou-Se criatura para nos salvar do poder do pecado e da morte. O Natal também pode ser compreendido como o presente de Deus para a raça humana. Em Seu Filho, Deus nos concedeu o mais precioso dos dons. Ele foi o pão do Céu oferecido a nós, gratuitamente, por nosso Pai celestial (João 6:48-51). Mas o Natal também é um tempo de proclamação. Naquela noite, anjos proclamaram as boas-novas aos pastores: “Não tenham medo. […] Hoje, na cidade de Davi, lhes nasceu o Salvador” (Lucas 2:10, 11). Devemos unir nossa voz com as vozes dos anjos e proclamar novamente, por todo o planeta, a gloriosa notícia de paz e liberdade do medo, por meio de Cristo, o Senhor O Natal é uma excelente oportunidade para lembrar a raça humana de que o Menino que nasceu em Belém em breve voltará a este mundo.
Angel Manuel Rodríguez, Revista “Adventist World” – Dezembro 2010

Veja: Natal: data, significado e comemoração“, de Samuele Bacchiocchi – clique aqui.

Sugerimos a leitura de algumas das antigas Meditações Matinais de Ellen White:

“Celebrando o Natal” – clique aqui.
“O Dom que Cristo Deseja” – clique aqui.
“Resoluções Para o Ano Novo” – clique aqui.
“O Inefável Dom de Deus” – clique aqui.
“Glória a Deus nas Alturas” – clique aqui.

Também sugerimos a leitura de “O Lar Adventista” – clique aqui.

Para mais artigos de Angel Manuel Rodríguez, clique aqui.

Anúncios

Sobre Ligado na Videira

Ligado na Videira
Esse post foi publicado em Angel Manuel Rodríguez e marcado , , . Guardar link permanente.

Escreva um comentário. Compartilhe sua opinião.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s