Deus Vai Destruir os Ímpios ou Eles se Autodestruirão? O Fim do Pecado e dos Pecadores – A Destruição Final dos Ímpios (julho/2008)

Ouço diferentes opiniões a respeito da destruição final dos ímpios. É verdade que Deus não vai destruí-los, e sim que irão autodestruir-se?

Evito responder a essa pergunta porque qualquer resposta pode levar a um debate e não estou interessado em debates. Uma vez, porém, que sua pergunta é feita com muita frequência, deixe-me começar dizendo que apenas uma Pessoa experimentou a segunda morte: Jesus Cristo. Vou abordar o tema por meio de Sua experiência, mantendo em mente que, embora Sua experiência tenha sido semelhante à dos ímpios, também foi significativamente diferente.

1. O Problema: Algumas pessoas creem que o pecado é autodestrutivo, uma vez que traz em si mesmo consequências e resultados específicos que destroem o pecador. Esse é, geralmente, o caso. Mas a extinção final do pecado, do pecador e dos poderes do mal é algo diferente. Neste caso, Deus é descrito como estando direta e pessoalmente envolvido. Para alguns, esse é um problema porque, dizem, Deus castiga o ser humano com a morte e, aparentemente, alguns sofrerão mais que outros. Para eles, seria melhor sugerir que os pecadores se destruam. Eu aceito a declaração bíblica: “desceu, porém, fogo do céu e os consumiu” (Apocalipse 20:9). Reconheço que não compreendo os detalhes desse estranho ato divino.

2. Jesus Sofreu a Morte dos Ímpios: Seria difícil negar que Deus, o Pai, estava diretamente envolvido na morte de Jesus. A Bíblia atribui a morte de Jesus ao Pai, ao próprio Filho, aos romanos e às autoridades judias.

O fato de que o Pai poderia ter poupado Jesus da morte e não o fez não significa que Sua morte foi da vontade do Pai. Isso corresponde a dizer que essa foi Sua divina intenção para Seu Filho (João 12:27-28). Jesus bebeu da taça do julgamento de Deus (Mateus 26:39). O Pai não O poupou (Romanos 8:32), mas O entregou para morrer (Romanos 4:25).

Jesus disse que entregaria a própria vida, e que ninguém teria poder para tirá-la dEle (João 10:17-18). Jesus entregou Sua vida voluntariamente (Marcos 10:45; Gálatas 2:20; Efésios 5:25).

Os humanos também estavam envolvidos na morte do Filho de Deus (Lucas 18:32; 22:3; Marcos 15:15). O Pai, o Filho e os seres humanos estavam diretamente envolvidos na morte do Filho de Deus. A experiência de Jesus foi um pouco diferente do que acontecerá aos ímpios. Em ambos os casos, porém, o indivíduo e Deus estarão envolvidos.

3. Jesus Sofreu: Ninguém questiona que Jesus sofreu intensamente na cruz. O sofrimento foi físico, mas, acima de tudo, espiritual. Ele experimentou o abandono divino como nenhum ser humano jamais experimentou (Mateus 27:46). Levou sobre Si o pecado do mundo todo. Os ímpios receberão a recompensa de acordo com suas obras (Apocalipse 20:13). Essa não será uma dor auto-infligida ou provocada por Satanás. Deus, pessoalmente, dará a eles o que escolheram como seu destino final: morte eterna.

4. Jesus Entregou Sua Vida: Foi necessário que Jesus morresse como portador do pecado. Aceitou a justiça e a justa vontade do Pai para Ele. Na cruz, Ele sofreu até que, voluntariamente, entregou a vida a Seu Pai. Uma vez que Sua morte era parte do plano da salvação, Ele suportou o sofrimento por um determinado período de tempo e, no momento oportuno, entregou Sua vida clamando: “Está consumado!”

No caso dos ímpios, sua destruição é precedida pelo próprio reconhecimento de que merecem morrer. Cairão de joelhos e reconhecerão que Jesus Cristo é Senhor (Filipenses 2:10-11).

Não obstante, os ímpios lutarão para entregar voluntariamente a vida a Jesus. Deixe-me sugerir que a intensidade do sofrimento deles pode estar diretamente relacionada à sua disposição de desistir da vida, o que está diretamente relacionado ao egoísmo. Tal atitude pode estender seu sofrimento e permitir que cada um experimente o julgamento de acordo com suas obras. Uma vez que desistirem da vida, a justiça de Deus é vindicada e a existência deles é apagada para sempre. Em seguida, terminará o conflito entre o bem e o mal.

Angel Manuel Rodríguez, Revista “Adventist World” – julho de 2008

Leia: “A ira de Deus – Romanos 1:18”, de Comentário Bíblico Adventista – clique aqui.

Sobre a morte dos ímpios antes da segunda vinda de Cristo, leia “Os ímpios matam-se uns aos outros”, na Meditação Matinal de 13/08/1977 (Maranata, O Senhor Vem!, pág. 292) – clique aqui.

Para mais artigos de Angel Manuel Rodríguez, clique aqui.

Anúncios

Sobre Ligado na Videira

Ligado na Videira
Esse post foi publicado em Angel Manuel Rodríguez e marcado , , . Guardar link permanente.

Escreva um comentário. Compartilhe sua opinião.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s