Como Cristo pode ser “o Primogênito de toda a criação” sem ter sido criado? (Colossenses 1:15)

Ao longo da história do cristianismo houve muita discussão a respeito do significado do termo “primogênito” (grego protótokos) quando usado em relação a Cristo. No Novo Testamento, Cristo é chamado de “o Primogênito” (Hebreus 1:6), “o Primogênito de toda a criação” (Colossenses 1:15), “o Primogênito dos mortos” (Apocalipse 1:5), “o Primogênito de entre os mortos” (Colossenses 1:18) e “o Primogênito entre muitos irmãos” (Romanos 8:29).

Para entender essa questão é importante ter em mente que, entre os israelitas, todo o primogênito deveria ser consagrado ao Senhor (Êxodo 13:1-16; Lucas 2:22-24), recebendo herança “dobrada” em relação aos demais irmãos (Deuteronômio 21:15-17). Embora o termo “primogênito” seja normalmente usado para designar o primeiro filho de um casal, ele é também empregado na Bíblia em relação a um dos demais filhos, que não o mais velho, mas que tenha se destacado entre os seus irmãos. É neste sentido que Deus qualificou a Israel, que não era a nação mais antiga da terra, de “meu primogênito” (Êxodo 4:22); a Efraim, o segundo filho de José, e Azenate, de “o meu primogênito” (Jeremias 31:9); e a Davi, o mais novo dos oito filhos de Jessé, de “meu primogênito, o mais elevado entre os reis da Terra” (Salmos 89:27).

Cristo é qualificado de “o Primogênito de toda a criação” (Colossenses 1:15) em um contexto que O enaltece como o Criador que está acima de toda a criação. Em Colossenses 1:15-17, Paulo afirma que Cristo “é a imagem do Deus invisível, o Primogênito de toda a criação; pois nEle foram criadas todas as coisas, nos Céus e sobre a Terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dEle e para Ele. Ele é antes de todas as coisas. NEle tudo subsiste”.

Se o próprio Cristo fosse uma criatura do Pai, como alegam alguns pretensos cristãos, como poderia o texto acima afirmar que “tudo” o que foi criado foi “por meio dEle” criado? Se Cristo houvesse sido gerado em algum momento da eternidade, como poderia ser chamado, em Isaías 9:6, de “Deus Forte” e “Pai da Eternidade”? Nesse caso, Ele não seria “Pai da Eternidade”, mas simplesmente uma criatura que veio à existência em algum momento específico da eternidade! Cremos, porém, que como “o Primogênito de toda a criação”, Cristo é o Soberano absoluto sobre toda a criação, pois “nEle habita corporalmente toda a plenitude da Divindade” (Colossenses 2:9).

Alberto Timm, “ Revista Sinais dos Tempos”, novembro/dezembro de 2001, pág. 30.

Veja os comentários no quadro abaixoclique aqui.

Para mais artigos de Alberto Timm, clique aqui.

Anúncios

Sobre Ligado na Videira

Ligado na Videira
Esse post foi publicado em Alberto Timm e marcado , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Como Cristo pode ser “o Primogênito de toda a criação” sem ter sido criado? (Colossenses 1:15)

  1. Contribui ver estes 4 artigos também:

    1) https://ligadonavideira.wordpress.com/2013/03/04/explicacao-de-textos-dificeis-da-biblia-jesus-filho-de-deus-e-filho-do-homem/

    2) https://ligadonavideira.wordpress.com/2013/10/30/por-que-jesus-disse-o-pai-e-maior-do-que-eu-joao-1428/

    3) Jesus perdeu algum atributo divino ao Se encarnar? (Escrito por Ozeas C. Moura, editor da Casa Publicadora Brasileira).
    Pergunta: Tenho dúvida quanto à onisciência de Jesus. Já ouvi que, quando Ele disse: “Mas a respeito daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos dos Céus, nem o Filho, senão o Pai” (Mateus 24:36), foi porque, estando Ele encarnado, não teria feito uso de Sua onisciência, em Seu próprio benefício. Mas, lendo Apocalipse 1:1, parece que, mesmo depois de Sua ressurreição e ascensão, Ele dependia da revelação do Pai para eventos futuros. Teria Jesus, por causa da Encarnação, perdido Sua onisciência?
    Resposta: Apocalipse 1:1 diz: “Revelação de Jesus Cristo, que Deus Lhe deu para mostrar aos Seus servos as coisas que em breve devem acontecer e que Ele, enviando por intermédio do Seu anjo, notificou ao Seu servo João”.
    Deve-se dizer, de início, que, pelo fato de Se encarnar, Jesus não perdeu qualquer atributo divino. Isso é o que nos diz Paulo, em Colossenses 2:9: “Porquanto, nEle, habita corporalmente toda a plenitude da divindade” (destaque acrescentado). Se, mesmo após Sua ascensão, Paulo fala que “toda a plenitude da divindade” habita corporalmente em Jesus, isso significa que Ele, mesmo tendo passado pelo processo da Encarnação, continua com todos os poderes divinos, que sempre teve, incluindo a onisciência.
    Então, como entender que a “revelação” que João recebeu tinha sido dada a Jesus pelo Pai? Essa declaração deve ser vista no papel de cada membro da divindade com respeito ao plano da salvação. Ou seja, como Jesus, mediante a Encarnação, Se tornou o Mediador entre Deus e os homens (ver 1Timóteo 2:5), Deus Pai incumbe Jesus de transmitir certas informações que dizem respeito aos humanos, como é o caso de Apocalipse 1:1. Mas isso não significa que Jesus não pudesse sabê-las, pois se o texto de Colossenses 2:9 está certo, então Jesus sabe todas as coisas, pois é onisciente, e em plenitude.
    É interessante ver como os membros da Trindade são altruístas, ou seja, sempre dividem com os outros membros alguma tarefa (mesmo podendo fazê-las sozinhos, se assim o desejar). Um exemplo claro é o da Criação. Deus Pai poderia, sozinho, ter idealizado e criado o mundo, mas não o fez. Deixou que o Filho desse o comando, falasse para as coisas e seres aparecerem. É por isso que Ele é chamado de “Verbo” (João 1:1,10) e de “Verbo de Deus” (Apocalipse 19:13). O Filho, o Verbo de Deus, contou com a atuação do Espírito Santo para moldar a face do abismo (Gênesis 1:2). O “pairar sobre as águas” do Espírito, em Gênesis 1:2, indica Sua obra criadora, e não que Ele tenha ficado olhando passivamente as coisas e seres sendo criados.
    Alguém menos avisado poderia inferir do relato da Criação, em Gênesis capítulo 1, que o Pai não seria onipotente, pois foi o Filho quem comandou toda a obra de criação, ou que o Filho teria alguma limitação, pois é dito que quem moldou a face do abismo foi o Espírito Santo (e não só o abismo, mas o próprio homem. Jó 33:4 e 6 menciona que o Espírito Santo moldou o homem do barro e soprou em suas narinas o fôlego de vida. Confira, ainda, Salmos 104:30, onde o Espírito Santo é mencionado como Criador).
    O que acontece na Criação é uma bela cena de altruísmo: uma pessoa divina aceita a participação de outra na tarefa de criar, mas isso não significa que haja limitação de algum atributo nas pessoas da Divindade. O mesmo se deu com a revelação de Jesus a João: O Pai poderia tê-la concedido diretamente a João, mas deixou o Filho fazer isso, pois Ele é o nosso Mediador, e, pela Encarnação, nosso irmão mais velho.
    [Comentário de Ligado na Videira: Tenho a impressão que a questão foi fundamentada em dois períodos, mas, ao final, a resposta misturou esses períodos. Entendo assim:
    1) Jesus antes da encarnação (o Velho Testamento);
    2) Jesus encarnado, da barriga de Maria até a ascensão;
    3) Jesus encarnado, após a ascensão.
    Quanto ao item nº 1, muitos ignoram que é Jesus o Deus que Se relaciona com a humanidade. É Ele no dilúvio, no vau de Jaboque, no Sinai, no santuário do deserto, etc, etc.
    No nº 2 Ele Se limitou. Por ter Se tornado homem, teve que aprender aos pés de Sua mãe, não lia pensamento, não atravessava paredes, não lembrava do Céu, não tinha certezas sobre o pós tumba, não sabia o futuro. Viveu pela fé. Dependia do Pai. Por ser o Salvador, de modo especial recebia revelações do Santo Espírito de Deus.
    No nº 3, volta ao Céu. Não deixou a humanidade, mas a glorifica. É nisso que está a diferença. Mas, como as Escrituras estão falando de salvação e redenção, Jesus Cristo sempre vai Se posicionar como representante da humanidade diante do Pai, e, daí, essa submissão, essa súplica de aceitação, embora saiba absolutamente de tudo. (Devemos estudar e valorizar a eterna humanidade de Jesus)].

    4) Seria Jesus criatura do Pai? (Escrito por Ozeas C. Moura, editor da Casa Publicadora Brasileira).
    Pergunta: Colossenses 1:15 e Apocalipse 3:14 estão, realmente, afirmando que Deus Pai criou Jesus Cristo?
    Resposta: A Bíblia é clara em afirmar que Jesus é Deus. Eis alguns textos bíblicos sobre essa verdade: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus” (João 1:1); “Ninguém jamais viu a Deus; o Deus Unigênito, que está no seio do Pai, é quem O revelou” (João 1:18); “Respondeu-Lhe Tomé: Senhor meu e Deus meu” (João 20:28); “… mas acerca do Filho: o Teu trono, ó Deus, é para todo o sempre” (Hebreus 1:8); “… na justiça do nosso Deus e Salvador Jesus Cristo” (2Pedro 1:1); “Aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus” (Tito 2:13); “Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, e Ele será chamado pelo nome de Emanuel (que quer dizer: Deus conosco)” (Mateus 1:23). À luz do conteúdo desses versos, não há motivo para se pensar que Jesus tenha sido criado pelo Pai. Se isso tivesse acontecido, Jesus teria sido o primeiro a nascer, o que contradiria os textos anteriormente mencionados, que declaram ser Ele Deus e, portanto, eterno.
    Colossenses 1:15 diz que Jesus “é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a Criação”. A palavra “primogênito” vem do grego “protótokos” (protos = “o primeiro a nascer”, “o principal”, “o mais importante”, e tokos = “dado à luz”, “nascido”, “descendência”, “prole” – do verbo tikto = “nascer”, “dar à luz” (1)). A Septuaginta emprega protótokos para traduzir o vocábulo hebraico bekôr – “primogênito”. (2) Assim, protótokos significa tanto “primeiro/primogênito”, como também “mais importante/preeminente”.
    “Primogênito” é empregado na Bíblia com duas ideias: (1) em sentido literal: o primeiro a nascer (Lucas 2:7 – “E ela [Maria] deu à luz o seu filho primogênito”; Hebreus 11:28 – “… para que o exterminador não tocasse nos primogênitos dos israelitas”), e (2) em sentido figurado: o mais importante, o mais preeminente (Êxodo 4:22 – “Israel [2º filho de Isaque] é meu filho, meu primogênito”; Salmos 89:27 – “Fá-lo-ei [a Davi, filho mais novo de Jessé], por isso, meu primogênito, o mais elevado entre os reis da Terra”; Jeremias 31:9 – “Efraim [2º filho de José] é meu primogênito”).
    Então, sendo Jesus Deus, e como tal eterno, a palavra “primogênito” é empregada, em Colossenses 1:15, para mostrar que Ele é ”o mais importante” de toda a Criação, pois foi seu Criador, o Autor da própria Criação. Veja que Colossenses 1:16 explica o verso 15: “… pois nEle, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a Terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dEle e para Ele”.
    Em Colossenses 1:15, Paulo destaca a posição de Cristo em relação à Criação. Ele é apresentado como estando acima de todas as coisas criadas. A razão disso é que Ele é a causa primária da Criação, Seu Originador. Ele é o que tem todo o poder, “no Céu e na Terra” ( Mateus 28:18), “porquanto, nEle, habita, corporalmente, toda a plenitude da divindade” (Colossenses 2:9), e “NEle, tudo subsiste” (Colossenses 1:17).
    Apocalipse 3:14 diz que Jesus é “o princípio da Criação de Deus”. A palavra “princípio”, na língua original grega, é archê, e significa “início”, “origem”, “princípio”, mas também “líder” e “primeira causa”.(3) A ideia de que Jesus foi o início da Criação de Deus, no sentido de ter sido a primeira coisa criada, novamente contraria os textos mencionados anteriormente, os quais afirmam que Jesus é Deus, e como tal eterno, e quem é eterno não pode ter sido criado. A palavra “princípio”, em Apocalipse 3:14, quer dizer que Jesus é o “originador”, a “causa primária”, o “líder” da Criação de Deus.
    Em conclusão, dizemos que os textos de Colossenses 1:15 e Apocalipse 3:14, longe de sugerirem que o Filho foi criado, afirmam Sua eternidade e Seu poder criador.
    Referências:
    1. DAVIDSON, B. The Analytical Greek Lexicon. Nova York: Harper & Brothers Publishers, s/d, p. 404.
    2. BARTELS, K. H , in: COENEN, L. & BROWN, Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento, v. 2. São Paulo: Vida Nova, 2000, p 1851.
    3. GINGRICH, F. W. & DANKER, F. W. Léxico do Novo Testamento Grego/Português: São Paulo: Vida Nova, 1993, p. 35.

  2. samiru disse:

    Caro amigo,
    O que eu consigo descobrir, e acho evidente, é que ha uma tendencia no novo testamento de divinizar a Jesus, para adora-lo. Ja que em parte alguma Jesus nos 4 evangelhos diz ser Deus, o que os criataos fazem depois é de tentar provar que ele é um deus e deve ser adorado. Por isso nao tenho receio de afirmar que muitos cristaos sao pagaos e nao o sabem. Jesus para eles é como Hercules da mitologia grega – paganismo, em que ele é filho de deus do ceu chamado Zeus (Pai), e veio na terra sacrificar sua vida para os homens, a diferenca é que enquanto um era forte o outro era fraco.

    Os cristaos nao respeitam as ordens de Deus, ignoram, ate dizem que as leis de Deus ja foram substituidas pela graça de Jesus Cristo. Comem carne de porco, bebem, praticam sexo fora de casamento, aceitam homosexualismo, nao se circuncidam, nem incentivam a tal, adoram mais a Jesus em vez de Deus (romanos 1:16-29), etc etc.

    Insultam Adao e Eva, Noe, Abraao, Lot, Isaac, Jaco, Jose, Moises, David, Salomao, Joa Batista e ate o proprio Jesus, pois fazem retratos sobre ele com fisionomia de um europeu enquanto ele foi um semita (hebrew).

    Isaias 46:5 e Isaias 43:10 diz que so Deus é Deus.

    Joao 17:3 diz que Jesus disse que so Deus é o verdadeiro Deus.

    Joao 1:1 na tentativa de igualar Jesus a Deus, nao teve exito a 100%. Pois neste verso diz que Jesus foi criado sim assim como a terra foi criada, com palavra de Deus, assim aconteceu com Jesus:

    1. No princio criou Deus o ceus e a terra (genesis 1:1) e no principio (jesus) era o verbo (palavra) e o verbo estava com Deus,
    Nao se da isso a malucos, mas aos que raciocinam. Deus nao cria com blocos nem tijolos, mas cria com palavras, ‘haja a luz, haja a terra, haja o ceu, haja Jesus.

    Ambos, todos o ceu, a terra, Jesus, foram criados com palavra ( verbo) de Deus. Se negar a isso, receio nunca mais teres exito no teu raciocinio.

    Somente Deus é que sempre existiu. Isaias 43:10

    2. Em seguida Joao 1:1 diz que o verbo era Deus. Essa é uma prova evidente de que nao se pode confiar na totalidade a Biblia.

    Se ni Isaias 43:10 Deus diz que antes dEle nenhum deus se firmou e depois dEle nenhum se formara, como Joao 1:1 esta dizer que Deus formou outro deus?

    Raciocine!

    • Samiru,
      Primeiramente, nossos agradecimentos por você navegar e registrar o seu parecer em nosso blog.
      Também, ressaltamos nossa admiração por você, conforme demonstrado, ser um leitor da Bíblia, a Palavra de Deus.
      Temos interpretações diferentes, e sugiro que oremos ao SENHOR, suplicando a Sua luz, a Sua sabedoria – por sinal, prometida a todos aqueles que a pedem.
      Deus o abençoe nessa nova semana.
      Respeitosamente,

      Carlos Bitencourt
      Cascavel-Paraná

Escreva um comentário. Compartilhe sua opinião.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s