Pela Graça de Deus

Meditação Matinal de Ellen White – Maravilhosa Graça de Deus, 1974.

15 de janeiro – Pág. 21 – Pela Graça de Deus

Sendo justificados gratuitamente pela Sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. Romanos 3:24.

Em muitas parábolas Cristo usa a expressão “o Reino dos Céus”, para designar a obra da graça divina no coração dos homens. […] O reino da graça foi instituído imediatamente depois da queda do homem, quando fora concebido um plano para a redenção da raça culpada. Existiu ele então no propósito de Deus e pela Sua promessa; e mediante a fé os homens podiam tornar-se súditos seus. O Grande Conflito, pág. 347.

O exercício da força é contrário aos princípios do governo de Deus; Ele deseja unicamente o serviço de amor. […] Conhecer a Deus é amá-Lo; Seu caráter deve ser manifestado em contraste com o de Satanás. Essa obra, unicamente um Ser, em todo o Universo, era capaz de realizar. Somente Aquele que conhecia a altura e a profundidade do amor de Deus, podia torná-lo conhecido. […]

O plano de nossa redenção não foi um pensamento posterior, formulado depois da queda de Adão. Foi a revelação “do mistério que desde tempos eternos esteve oculto” (Romanos 16:25). Foi um desdobramento dos princípios que têm sido, desde os séculos da eternidade, o fundamento do trono de Deus. […] Deus não ordenou a existência do pecado. Previu-a, porém, e tomou providências para enfrentar a terrível emergência. Tão grande era Seu amor pelo mundo, que concertou entregar Seu Filho unigênito “para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16). O Desejado de Todas as Nações, págs. 22 e 23.

Tão logo houve pecado, houve um Salvador. Cristo sabia que teria de sofrer, e contudo tornou-Se o substituto do homem. Tão logo Adão pecou, o Filho de Deus Se apresentou como garantia para a humanidade apenas com tanto poder para desviar a maldição pronunciada sobre o culpado como quando morreu sobre a cruz do Calvário.

Que amor! Que prodigiosa condescendência! O Rei da glória Se dispõe a humilhar-Se pela humanidade caída! Ele colocaria os Seus pés nos passos de Adão. Tomaria a natureza do homem caído e empenhar-Se-ia em luta com o forte inimigo que triunfou sobre Adão. Ele venceria a Satanás, e assim abriria o caminho para libertar da infelicidade oriunda da falha e queda de Adão, a todos que nEle cressem. Comentário Bíblico Adventista, vol. 1, págs. 1193 e 1194.

Anúncios

Sobre Ligado na Videira

Ligado na Videira
Esse post foi publicado em 1974 – Maravilhosa Graça de Deus, Ellen White, Meditação Matinal e marcado , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Pela Graça de Deus

  1. Verônica de Souza Santos disse:

    Estes parágrafos abaixo estão em “conflito”.
    Gostaria de ajuda para compreende-los.
    Grata,
    Verônica Santos
    ⬇⬇⬇
    “O reino da graça foi instituído imediatamente depois da queda do homem, quando fora concebido um plano para a redenção da raça culpada. Existiu ele então no propósito de Deus e pela Sua promessa; e mediante a fé os homens podiam tornar-se súditos seus. O Grande Conflito, pág. 347”.

    “O plano de nossa redenção não foi um pensamento posterior, formulado depois da queda de Adão. Foi a revelação “do mistério que desde tempos eternos esteve oculto” (Romanos 16:25)”.

    • Verônica,
      A sequência é esta:

      1) O Plano da Redenção estava no propósito de Deus, caso o homem pecasse. Não foi um pensamento posterior. Estava oculto.
      2) Quando Adão caiu, imediatamente foi revelado, foi instituído.
      3) Atravessou todo o Velho Testamento. Foi desenvolvido na vida e na história de todos os que viveram durante o Velho Testamento. Até que foi consumado na cruz do Calvário.

      Guardo comigo, tenho a ideia, planejo, tenho o propósito de visitar as Cataratas do Iguaçu. Ao entrar no carro, instituo o plano. Quando estou frente a frente com esta maravilha da natureza, posso dizer: está consumado.

      Irmã, falar do Plano da Redenção é a maior de todas as maravilhas do mundo, do Universo!

      Carlos Bitencourt
      Cascavel-Paraná

      • Abel Oliveira da Silva disse:

        Verônica, o reino da graça foi instituído após a queda, mas sua elaboração foi antes, assim, se o homem não tivesse pecado, o reino da graça jamais seria instituído.

Escreva um comentário. Compartilhe sua opinião.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s