95 Teses Sobre Justificação Pela Fé, FÉ – TESE 13

A melhor definição de fé é confiança. Confiança é depender de outro.

Talvez tenha ouvido a história do malabarista que andava sobre a corda bamba por cima das Quedas de Niágara. Após ter deixado multidões embevecidas com seu feito, perguntou: “Quantos de vocês acreditam que desta vez eu posso atravessar novamente sobre a corda empurrando um carrinho de mão com alguém sentado dentro?”

A multidão aplaudia. Todos estavam certos de que ele poderia fazê-lo. Então, continuou: “Quem quer ser o voluntário e entrar no carrinho de mão?” Fez-se um profundo silêncio! O auditório havia acabado de ser lembrado da diferença vital entre crença e confiança! Uma coisa é crer que o carrinho atravessaria com toda segurança o abismo. Outra, bem diversa, é pôr a própria vida numa corda bamba.

Tiago 2:19 estabelece a mesma distinção: “Crês, tu, que Deus é um só? Fazes bem. Até os demônios creem, e tremem“. A fim de desenvolver fé salvadora, você precisa mais do que assentimento mental. Até mesmo os demônios têm crença desse nível; e tremem, em resultado disso. Os demônios crêem – mas não confiam. E essa é a diferença crucial.

Três palavras descrevem a relação de dependência do cristão para com Deus: fé, crença, e confiança. No uso moderno, crença muitas vezes traz consigo a ideia de mero assentimento mental. é, ás vezes, confundida com pensamento positivo. Mas a palavra confiança provavelmente seja a que mais se aproxime em descrever a dependência bíblica de Deus. Onde quer que encontre a palavra crença ou fé na Escritura, pode substituir pela palavra confiança, e talvez obtenha uma nova dimensão de palavras familiares. Por exemplo, “crê no Senhor Jesus Cristo, e serás salvo” (Atos 16:31) poderia ser assim redigido: “Confia no Senhor Jesus Cristo, e serás salvo”.

Mensagens Escolhidas, vol. 1, pág. 389, declara: “A fé abrange não só a crença mas também a confiança“.

E Educação, pág. 253: “A fé é a confiança em Deus“.

Fé é dependência de Outro. E, provavelmente, a palavra mais próxima de submissão encontrada na Bíblia; pois traz consigo a ideia de entregar a vida ao controle de Deus.

Os grandes empreendedores não gostam da ideia de dependência. Pode parecer assustador pensar em colocar-se sob o controle de outrem. Pode ser um golpe ao orgulho e autossuficiência humanos, permitir que algum outro dite as regras. Mas “sem fé é impossível agradar a Deus” (Hebreus 11:6) – ou, “sem confiança é impossível agradar a Deus”. Somente quando renunciamos a nossa própria vontade e modo de pensar, e confiamos totalmente em Seu poder para salvar, Deus pode realizar Seu propósito em nossa vida.

Assim como as crianças trazem seus brinquedos quebrados, / Com lágrimas, para que os consertemos, / Levei meus sonhos despedaçados para Deus / Porque Ele era o meu Amigo. / Mas então, em vez de deixá-Lo / Em paz, a trabalhar sozinho, / Fiquei por perto, procurando ajudar / Por maneiras que me eram próprias. / Finalmente, os tomei de volta, e exclamei: / “Como podes ser tão vagaroso?” / “Meu filho”, disse Ele, “que podia Eu fazer? / Tu nunca os soltaste.”

A fé ou confiança genuína é totalmente dependente, totalmente vulnerável. O raciocínio, ou entendimento, ou lógica humana podem ir até certo ponto, e então temos que partir para aquilo que não pode ser provado, exceto por experiência. Os teólogos, se têm referido, às vezes, a esta verdade, como o “salto da fé”.

Mas confiança em Deus não é um salto no escuro. Ele nos tem dado evidências suficientes em que basear nossa confiança nEle. Em Mateus 15, encontramos a história da mulher siro-fenícia. Ela veio em busca de Jesus, que havia percorrido 80 quilômetros além de Seu roteiro a fim de que sua busca fosse recompensada. Encontrá-Lo caminhando pelas poeirentas estradas de seu próprio pais, deve tê-la encorajado a crer. Mas quando Lhe levou o seu pedido, Ele parecia ignorá-la. Ela persistiu, e Ele parecia insultá-la. Contudo, havia evidência bastante em Seu olhar, tom de voz e maneira de agir, para encorajá-la a confiar nEle, a despeito das aparências; e ela persistiu, até que sua fé foi recompensada. A resposta veio ao continuar ela confiando nEle. (Próximo capítulo – clique aqui)

Retorno ao Índice Geral – clique aqui.

Anúncios

Sobre Ligado na Videira

Ligado na Videira
Esse post foi publicado em 95 Teses Sobre Justificação Pela Fé, Morris Venden e marcado , , , . Guardar link permanente.

Escreva um comentário. Compartilhe sua opinião.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s